Bambu será tema de seminário gratuito no Jardim Botânico

Por: Mariana Campos – macampos@sorocaba.sp.gov.br

Evento integra a programação do Dia da Árvore (21 de setembro)

O 1º Seminário do Bambu em Sorocaba ocorrerá neste sábado (14), das 8h às 17h, no Jardim Botânico “Irmãos Villas-Bôas”. O evento gratuito contará com um ciclo de palestras e o lançamento do livro “Bambu: Características e Aplicações na Construção Civil e Arquitetura”, de autoria do Prof. Dr. Antonio L. Beraldo e do Eng. Civil Luiz Roberto Aleixo. Todas as vagas já foram preenchidas.

Realizado pela Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Estado de São Paulo (Senar), Sindicato Rural de Sorocaba, Rede Paulista do Bambu (Rebasp) e Associação Brasileira do Bambu (BambuBR), o objetivo do evento é difundir as potencialidades do uso do bambu e os avanços no conhecimento sobre esse grupo vegetal visando fomentar o desenvolvimento da sua produção na região, bem como das tecnologias associadas. O seminário integra a programação especial em comemoração ao Dia da Árvore (21 de setembro).

Em março deste ano, o Jardim Botânico ganhou uma coleção viva de exemplares de bambus, com 59 espécies nativas e exóticas importantes, que ficam numa área pública do bairro Quintais do Imperador, e o 1º Seminário do Bambu vai colaborar com o cumprimento de sua missão e objetivos, além de contribuir para o fortalecimento da cultura do bambu na região.

Há milênios, o bambu é conhecido e utilizado no Oriente para as mais diversas funções: alimento, estruturas de casas, paredes, telhas, portas e janelas, mobiliário, utensílios de cozinha, objetos de decoração, cercas, pontes, irrigação, drenos, embarcações, contenção de encostas, entre outras.

Na América, sítios arqueológicos mostram que o bambu é usado há cerca de 5 mil anos. Em países como Equador, Colômbia e Costa Rica, onde a pesquisa e a utilização do bambu já estão bastante avançadas, essa planta é empregada na construção de pontes, paradas de ônibus, praças de pedágio e em programas governamentais de habitações de interesse social adaptada as mudanças climáticas.

No Brasil, embora existam mais de 250 espécies nativas, muitas delas endêmicas, e mais de 100 espécies exóticas introduzidas, as atividades econômicas relacionadas ao bambu são ainda muito restritas. Esse cenário deve-se a pouca tradição no emprego do bambu como matéria-prima e, também, às lacunas de conhecimento e tecnologias locais que permitam usar tanto as espécies de clima temperado, quanto as espécies tropicais nativas com grande potencial comercial.

O Jardim Botânico está localizado na rua Miguel Montoro Lozano, 340, no Jardim Dois Corações. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3235.1130.

 

Sobre o Jardim Botânico

Inaugurado em 15 de março de 2014, o Jardim Botânico tem como missão promover a conservação in-situ e ex-situ, e o uso sustentável das espécies vegetais, em especial aquelas que são raras ou ameaçadas e representativas da biodiversidade local e regional, por meio de pesquisa, manutenção de coleções vivas e ações educativas, bem como proporcionar a integração entre ciência, história, tradições culturais e lazer.

Além disso, o Jardim Botânico tem entre seus objetivos a realização e fomento de projetos que visem a divulgação do conhecimento, conservação e uso sustentável de espécies da flora local e regional; estimular, promover e manter cursos e programas de capacitação e formação de recursos humanos em diferentes campos de atuação, priorizando as questões relacionadas à flora, bem como promover o intercâmbio de conhecimentos, informações e pesquisas.

 

Sobre o Sindicato Rural de Sorocaba

Fundado em 04 de março de 1967, o Sindicato Rural de Sorocaba é a base de um sólido sistema de representação da classe rural patronal, filiado à Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp), ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e à Confederação Nacional da Agricultura (CNA). A participação desta instituição na construção desse evento é de vital importância para que a temática chegue até as propriedades rurais, essenciais no desenvolvimento e na consolidação da cadeia produtiva do bambu na região.

 

Sobre a Rede Paulista do Bambu

A Rebasp é uma instituição não oficial e não governamental que agrupa os atores da Cadeia de Bambu no Estado de São Paulo: pequenos agricultores familiares, artesãos, institutos de pesquisa, universidades, empresários e indústrias e todos aqueles que percebem o bambu como algo benéfico e extremamente útil como material resiliente e sustentável e também importante na recuperação do ambiente degradado para as gerações futuras.

A rede tem atuado além de São Paulo, também a nível nacional com outros estados da federação, quer em participação ativa em seminários, encontros, mesas redondas, consultorias, e ainda a nível internacional em especial com a República Popular da China no encaminhamento de candidatos para participação em seminários e treinamentos de intercâmbios naquele país.

 

Sobre a Associação Brasil do Bambu

A BambuBR é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em 2018. Entre suas finalidades estão a divulgação de atividades relacionadas ao bambu, criando possibilidades para o desenvolvimento da cadeia do bambu no Brasil e o desenvolvimento e estímulo de projetos e programas de Pesquisa, Tecnologia e Inovação em Bioeconomia do Bambu, ressaltando seus múltiplos usos, benefícios sociais, ambientais e econômicos, objetivando a redução da pressão sobre as florestas nativas.

 
Programação

08h00 às 08h30 – Abertura

08h30 às 09h30 – Palestra 2: “Taxonomia de Poaceae com ênfase em bambus nativos do Brasil” com a Profª. Mª. Regina Tomoko Shirasuna do Instituto de Botânica, Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA).

09h30 às 09h45 – Café

09h45 às 11h00 – Palestra 1: “Espécies promissoras de bambus para plantios em áreas de Cerrado” com o Prof. Dr. Marco A. dos Reis Pereira, Coordenador do Laboratório de Experimentação com bambu e do Projeto Bambu da Faculdade de Engenharia de Bauru-FEB/Unesp.

11h00 às 12h00 – Palestra 3: “Uso do bambu na culinária”, com Profa. Dra. Juliana Cortez Barbosa da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Campus Experimental de Itapeva. Coordena atualmente o projeto de desenvolvimento tecnológico “Cultivo e transformação do bambu como alternativa sustentável para geração de renda na agricultura familiar, financiado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Secretaria de Inclusão Social (MCTI/Secis).

12h00 às 13h30 – Pausa para almoço

13h30 às 14h30 – Palestra 4: “Aplicações alimentícias da farinha de Bambu”, com a Profa. Dra. Maria Teresa Clerici da Universidade Estadual de Campinas, na Faculdade de Engenharia de Alimentos, do Departamento de Tecnologia de Alimentos.

14h30 às 15h30 – Palestra 5: “Bambu: tratamento preservante, carvão de bambu e bambucreto”, com Prof. Dr. Antonio Ludovico Beraldo, professor titular aposentado da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri/ Unicamp)

15h30 às 15h45 – Café

15h45 às 17h00 – Lançamento do livro: “Bambu: Características e Aplicações na Construção Civil e Arquitetura”

Tags: