Botânico agora tem uma câmara de germinação de sementes

Por: Mariana Campos – macampos@sorocaba.sp.gov.br

Foto: Assis Cavalcante

A Seção de Botânica e Produção Vegetal da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), agora conta com um novo equipamento para auxiliar o trabalho de produção de mudas de espécies da flora de Sorocaba e região: uma câmara de germinação de sementes. O equipamento está instalado no Salão Multiúso, numa sala ao lado do Herbário do Jardim Botânico “Irmãos Villas-Bôas”.

O equipamento foi doado à Prefeitura de Sorocaba pela Fundação São Paulo, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). O termo de doação foi publicado no Jornal Município de Sorocaba da última sexta-feira (dia 15).

A câmara de germinação é um ambiente controlado de luz e temperatura, que oferece ao pesquisador a possibilidade de simular as características térmicas e de inserção de luz tanto do dia, quanto da noite.

Com este novo equipamento, a Secretaria do Meio Ambiente pretende testar a produção de sementes da flora de Sorocaba e região, promovendo experiências para a quebra de dormência, otimizando assim a produção municipal de mudas de árvores. A dormência de semente é um processo caracterizado pelo atraso da germinação, quando ela mesmo em condições favoráveis de umidade, temperatura, luz e oxigênio, não germinam.

A Gestora Ambiental Camila Alvares, técnica ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, explica que cada espécie tem características fisiológicas diferentes que determinam o processo de germinação, como o período exposto ao sol ou à sombra, por exemplo. “Agora poderemos fazer testes com algumas sementes mais delicadas e ver em quais condições elas conseguem germinar”, afirma a servidora pública.

A ideia é que os testes tenham início em breve. “Vamos separar alguns lotes de sementes do nosso viveiro do ‘Chico Mendes’ e assim otimizar este trabalho. Queremos utilizar a câmara de germinação também para a produção de sementes de orquídeas, que são mais difíceis de germinar”, adianta Camila Alvares.

De acordo com o chefe da Seção de Botânica e Produção Vegetal da Secretaria do Meio Ambiente, Cristians Edgar Guimarães Leite, sementes pequenas, como a quaresmeira, também serão ideias para os testes na câmara de germinação. “Esta espécie, pelo seu tamanho, é bastante delicada”, explica.

O Jardim Botânico foi criado com o objetivo de promover a conservação in-situ e ex-situ e o uso sustentável das espécies vegetais, em especial aquelas que são raras ou ameaçadas e representativas da biodiversidade local e regional, por meio de pesquisa, manutenção de coleções vivas e ações educativas, bem como proporcionar a integração entre ciência, história, tradições culturais e lazer.

O espaço ecológico pode ser visitado de terça a domingo, das 9h às 17h, e está localizado na Rua Miguel Montoro Lozano, 340, no Jardim Dois Corações. A entrada é gratuita.

Tags:,