CEI-110 comemora o mês do folclore com atividades diversificadas

Por: Por Maria Clarke (Programa de Estágio) Supervisão: Bruno Rodrigues

Na última quinta-feira (22) foi comemorado o dia do folclore brasileiro. Essa tradição, comemorada todo mês de agosto, é um conjunto de expressões culturais, populares que englobam aspectos de identidade nacional, mitos, lendas, brincadeiras, danças, festas, comidas típicas, entre outros. A equipe do CEI-110, por meio da diretora Rosemary Serrão, entrou no clima e ofereceu atividades diversificadas relacionados ao tema folclórico para os seus estudantes.

As auxiliares de Educação, Marina Ferreira Teixeira, idealizadora da iniciativa e Solange Santos, realizaram várias atividades com os alunos da creche II (crianças com idade entre 2 e 3 anos).O intuito das educadoras foi tirar o folclore apenas das lendas, do papel, e transformar em algo palpável, trazendo para as brincadeiras, tornando-as o mais lúdicas possível, a fim de que as crianças entendam melhor o sentido do folclore.

As educadoras contam que trabalharam a história do Saci, brincando de pular de uma perna só; a lenda da Vitória Régia, em que as crianças tinham que pisar nas vitórias-régias sem molhar o pé; o Bumba meu Boi, brincando de pega-pega; o Boto cor-de-rosa, que não podia sair da água; além de assistirem desenhos e cantarem músicas sobre o tema.

Marina salienta a importância dessas atividades. “Elas desenvolvem a coordenação motora, estimulam a psicomotricidade, a brincadeira de roda, a interação, cooperação, além de trabalharem o movimento e a noção de espaço, equilibro, a relação, o respeito com o outro e muitos outros aspectos necessários para o desenvolvimento integral da criança”, pontua a servidora. “Acredito que o brincar é fundamental para todas as crianças e com esse trabalho pudemos trazer para elas inúmeras possibilidades através do lúdico. É incrível ver os olhinhos brilhando e o sorriso nos rostinhos deles”, completa a auxiliar Marina, que trabalha na rede desde 2016.

Para Solange, o tema valoriza as riquezas culturais nacionais e aborda a atenção das crianças de forma mais leve. “Trabalhar o folclore de maneira lúdica e prazerosa nos fez viajar pelo maravilhoso mundo das lendas brasileiras, além de proporcionar uma experiência riquíssima”, ressalta Solange.

Tags: