CEU das Artes também celebra Dia Internacional da Mulher

Por: Esdras Felipe Pereira (Programa de Estágio) Supervisão: Tânia Franco – ttferreira@sorocaba.sp.gov.br

Foto: Assis Cavalcante

Uma série de atividades gratuitas movimentaram, nesta terça-feira (8), o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU das Artes), no Parque Laranjeiras. Tudo, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. À tarde, a coordenadora do Centro de Referência da Mulher (Cerem), Paula Andrea Vial Silva, e a assistente social Fabiana de Jesus Machado, mediaram um bate-papo que, entre outras coisas, teve como tema a violência – física ou psicológica – sofrida por mulheres. A comunidade também teve acesso a cortes de cabelo e sessão de maquiagem, gratuitos.

Ao longo da conversa, Paula e Fabiana deram explicações sobre a Lei Maria da Penha (Lei 11.340, de 2006), cujos mecanismos foram definidos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Elas ainda falaram do trabalho feito pelo Cerem, que é integrado às delegacias de polícia, fórum e a Vara Especializada em Violência Contra a Mulher. Os principais objetivos são construir o conhecimento dos direitos e entendimento a respeito das relações de gênero.

A vice-prefeita e secretária de Desenvolvimento Social, Edith Maria di Giorgi, também esteve presente no evento. “Hoje temos que comemorar, mas não é um dia só de festa, é também de reflexão”, pontuou. “Queremos diminuir essa tragédia que é a violência doméstica. É preciso deixar claro que a luta não é contra o homem, é uma luta a favor de todos. A favor de uma sociedade com mais paz e harmonia”, completou.

Embora a temática fosse a violência sofrida pelas mulheres, o bate-papo chamou a atenção dos homens. Um deles era o eletricista Manoel Alves Pereira, 61. Atento e participativo, ele afirmou ser importante a colaboração do gênero masculino para a convivência em sociedade. “Gostei muito de participar. Esse tema é sempre falado nos jornais, mas muitas pessoas têm medo de comentar”, argumentou.

Para Paula, a presença dos homens foi fundamental na conversa. “Temos essa necessidade de multiplicar informação”, acrescentou ela, que distribuiu cartilhas sobre o tema antes do encontro.

Beleza em dia

Enquanto o bate-papo acontecia, algumas mulheres optaram por cortar o cabelo e passar maquiagem – serviços oferecidos de maneira gratuita por um instituto. A pedagoga Cecília da Silva Rabaça, 40, observava a filha Amanda, 11, renovar o visual. “Trouxe ela porque é pertinho de casa”, comentou. E acrescentou: “Deveríamos comemorar o Dia Internacional da Mulher todos os dias.”

A coordenadora das atividades culturais do CEU das Artes, Elisa Amaral Machado, disse que era um momento especial para que as mulheres mantivessem a beleza em dia. “E a gente vê muitas meninas, que logo vão se tornar mulheres, participando”, citou ela, em referência à quantidade de crianças interessadas nas atividades.

Tags:,