Conta de energia cobrada de futuros moradores do Carandá é anulada

Por: Leandro Nogueira - lmnogueira@sorocaba.sp.gov.br

Além do árduo trabalho para conseguir entregar os apartamentos do Residencial Carandá obedecendo as exigências legais, a equipe da força tarefa criada pelo prefeito José Crespo conseguiu anular, nesta quinta-feira (16), todas as cobranças de energia elétrica que a CPFL Piratininga estava emitindo em nome dos 2.560 beneficiados com os apartamentos, apesar de não terem se mudado.

Os beneficiários que estiverem recebendo mensagens emitidas pela CPFL Piratininga via celular podem desconsiderar as cobranças feitas antes de se mudarem. De acordo com a força tarefa da Prefeitura, aqueles que por um acaso pagaram alguma dessas contas, agora devem aguardar porque o valor idêntico será devolvido por meio de desconto nas futuras cobranças da CPFL Piratininga, que só ocorrerão após a entrega dos apartamentos.

O secretário municipal de Habitação e Regularização Fundiária, Maurício Campanati, disse que há 20 dias o município tomou ciência que a concessionária de energia elétrica estava lançando as contas com o valor da taxa mínima, já que as moradias estão fechadas. As cobranças iniciaram porque foram feitas as ligações individuais de energia elétrica em grande parte dos imóveis, para que estivessem em condições de serem habitados a partir de janeiro.

O secretário Campanati conta que a responsabilidade por essas cobranças poderia ser de outros, como da construtora ou do Órgão Financiador, mas a equipe da força tarefa entendeu que não era dos moradores ou da Prefeitura. Mesmo assim, a força tarefa liderada pela vice-prefeita Jaqueline Coutinho entendeu que, como agente articuladora, a Prefeitura deveria iniciar as tratativas e passou a fazer contatos com o órgão financiador, o Banco do Brasil, e com a CPFL Piratininga.

O secretário municipal da Habitação e Regularização Fundiária ressaltou que a CPFL Piratininga foi muito sensível à situação ao anular as contas e deixar de cobrar a tarifa até que ocorram as mudanças das famílias. “Mesmo não sendo um procedimento habitual, a concessionária cancelou as faturas de janeiro e deixará de cobrar até a entrega dos apartamentos, em função da documentação comprobatória que a gente enviou”, declarou Maurício Campanati. Explica que nesses casos a CPFL Piratininga faria a suspensão da conta e manteria uma tarifação, mas para os moradores do Carandá nada vai cobrar enquanto não foram entregues. “Conseguimos anular as contas e os beneficiários serão atendidos”, comemora.

Tags:,