Custo de recuperação da adutora foi de R$ 755 mil

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) concluiu a planilha de custos das operações que envolveram as intervenções necessárias para a recuperação da adutora de água bruta de 800 milímetros de diâmetro, rompida no dia 31 de janeiro, depois de um temporal ocorrido em Sorocaba e região.

O valor total é de R$ 755.615,00, distribuídos por quinze empresas contratadas, envolvendo os mais diversos serviços e materiais, como a contratação de empresa especializada para a fabricação de treliça metálica para a reposição da adutora rompida; locação de caminhões, máquinas e guindastes; aquisição e transporte de pedras; locação de caminhões-pipa; locação de equipamentos de iluminação; aquisição de ferro, aço, aduelas e concreto; e hospedagem em hotéis.

Para os serviços prestados pela empresa Engeccal Engenharia e Projetos, a autarquia vai desembolsar R$ 461.396,02, referentes à elaboração do projeto, construção e instalação da treliça metálica de 35 metros de comprimento e peso de 9 toneladas, incluindo o guindaste de grande porte utilizado para içar e colocar a estrutura no local, já com os tubos de reposição do trecho da adutora rompido.

Ainda no que diz respeito à treliça, foi necessário implantar um pilar metálico para a sua sustentação, com base formada por aduelas, preenchidas com ferro e concreto usinado, fornecidos pelas empresas Cantinho do Concreto e Metálica Ltda. (R$ 6.575,00); Cantinho do Ferro Ltda. (R$ 6.600,00) e Facis Tubos e Postes Ltda. (R$ 3.740,00).

Como o trecho da adutora rompida encontrava-se em local de difícil acesso, foi necessário abrir uma estrada de aproximadamente 500 metros de extensão, além da implantação de um platô para que um guindaste de grande porte pudesse se movimentar e operar sem riscos de acidente. Desta forma, foram contratados os serviços da empresa Terjac Locações para Terraplenagem, que apresentou um custo de R$ 68.600,00, incluindo máquinas como rolo compactador (60 horas), escavadeira hidráulica (65 horas), motoniveladora (60 horas), pá-carregadeira (40 horas) e caminhão basculante 10 m³ (160 viagens).

Complementando esse serviço de acesso até o local do rompimento da adutora, foi necessária a pavimentação da estrada que foi aberta e do platô de operações do guindaste, cujos serviços foram executados pela empresa Júlio Júlio Mineração Ltda., que forneceu e transportou pedra britada de rocha número 3 (255 m³), pedra britada de rocha número 4 (785 m³) e rachão de rocha (450 m³), ao custo de R$ 79.471,00.

Também para que o trabalho de recuperação da adutora rompida fosse desenvolvido durante as noites e madrugadas, no período entre 31 de janeiro e 6 de fevereiro, foi necessário implantar uma infraestrutura de iluminação, com geradores e holofotes, fornecidos pelas empresas Selt Serviços (R$ 5.200,00) e Dregraus Andaimes Máquinas e Equipamentos (R$ 3.852,00).

Caminhões-pipa

Finalmente, para a distribuição de água tratada à população afetada com a interrupção do abastecimento devido ao rompimento da adutora, foram contratadas quatro empresas para o fornecimento de caminhões-pipa, que juntamente com os veículos cedidos gratuitamente por unidades da Sabesp de dezesseis municípios paulistas, e mais os veículos próprios da autarquia, totalizaram 7 milhões de litros de água distribuídos em cinco dias de operação.

As empresas que locaram os caminhões-pipa foram as seguintes: Soágua Comercial e Serviços – cinco caminhões de 20 mil litros e um de 25 mil litros (R$ 67.500,00); Pingo D’Água Ltda. – três caminhões de 18 mil litros (R$ 29.160,00); Bormann Ltda. – um caminhão de 9 mil litros (R$ 5.400,00); e BM Redondo Transportes – um caminhão de 10 mil litros (R$ 5.400,00).

Ainda compondo os custos relativos à distribuição de água por caminhões-pipa, a autarquia teve também custos referentes à hospedagem para 20 motoristas da Sabesp, por um período de cinco dias, no Torre Hotel/All Inn (R$ 4.059,00) e Trevo Hotel (R$ 6.902,00). Também para essa operação de distribuição de água, houve a necessidade da aquisição de uma mangueira espiralada para sucção, instalada na Estação de Tratamento de Água do Cerrado, para o engate nos caminhões-pipa, fornecida pela empresa Dax Suprimentos Industriais Ltda., ao preço de R$ 1.760,00.