Empolgação de alunos marca início de curso de inglês no CEU das Artes

Por: Esdras Felipe Pereira (Programa de Estágio) Supervisão: Eduardo Santinon – esantinon@sorocaba.sp.gov.br

Foto: Assis Cavalcante

Materiais sobre a mesa e olhares atentos às explicações do professor. À distância, parece a dinâmica de uma sala de aula tradicional. Não é. Nesta, estão juntos adolescentes, jovens, adultos e até quem tem alguns cabelos brancos. Reunidos, os presentes almejam algo em comum: aprender uma nova língua e, ainda melhor, grátis. Todos são alunos de um curso de inglês gratuito, ministrado pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Cultura (Secult), no Centro de Artes e Esportes Unificados – CEU das Artes, que fica no bairro Laranjeiras. Nesta quinta-feira (25), eles participaram da segunda aula.

A disposição inicial da classe conta com 20 alunos, inscritos em janeiro. No entanto, a procura pelo curso foi tão grande que formou-se uma lista de espera.

Disseminar conhecimento

Luiz Renato Ferreira Gonçalves, 21, é estudante de Turismo no câmpus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O jovem foi o escolhido para munir com conhecimento os participantes do curso. O professor classifica a oportunidade como gratificante, tanto pessoal como profissionalmente. “Tem pessoas de todas as idades e que nem sempre teriam acesso a um curso pago”, destaca ele, que no ano passado fez um intercâmbio à Inglaterra e, agora, poderá disseminar sua experiência.

Na opinião de Gonçalves, o conhecimento de uma língua estrangeira será importante para os alunos no que se refere a um possível diferencial no mercado de trabalho, bem como na vertente do acesso a uma nova cultura. “O curso vai abrir a mente deles e também potencializar o acesso ao conhecimento”, salienta, lembrando que serão 40 horas/aula e, ao final, todos poderão retirar um certificado de conclusão.

Sortudos

Levando em conta a concorrência para ingressar no curso, quem conseguiu uma vaga pode se considerar sortudo. É o caso do garoto Fabrício Odilon, 14 anos. Quem observava o caderno debaixo de seu braço, imaginava sua vontade de aprender. Embora ainda tenha sido a segunda aula, ele garantiu que já sabia o significado dos dizeres “Don’t tell me to keep calm” na capa do material. “Em português, significa ‘não me diga para manter a calma’”, diz.

Odilon demonstrou interesse no curso por gostar de cantores estrangeiros, como Charlie Puth e Silentó, e filmes internacionais. “Sempre gostei, mas nunca entendia nada do que eles cantavam ou do que assistia nos filmes. Agora vou aprender muita coisa, que não teria condições se não fosse num curso de graça”, conta, sorridente.

Também integrante da classe, a dona de casa Mônica Santiago Cavalcante, 35 anos, além da curiosidade de aprender uma língua diferente, optou por começar as aulas para “ocupar a mente”. “Tive uma depressão recente e a médica me disse para preencher o tempo vazio”, explica ela, que, como companheiro de classe, tem o filho Murilo, 15 anos. “É um incentivo para a comunidade”, acredita o garoto.

Tags:, ,