Entenda mais sobre a Febre Amarela

Por: Marcelo Almeida

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. No ciclo silvestre, macacos infectados pela doença são picados pelos mosquitos Haemagogus e o Sabethes. Após a picada, esses mosquitos passam a carregar o vírus e podem transmitir a doença aos cidadãos que se aproximam das áreas de matas. Caso alguma pessoa seja picada e contaminada, ao se dirigir à área urbanizada, corre o risco de se iniciar o ciclo urbano. O ciclo urbano é iniciado quando o indivíduo contaminado é picado pelo mosquito Aedes Aegypti (o mesmo que transmite a Dengue, Chikungunya e Zika) e se inicia uma contaminação em massa pelas cidades. A febre amarela urbana não existe no Brasil desde 1942. Para que continue sem existir é importante que a população se conscientize e combata os focos de acúmulo de água, que são os locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença.

Sintomas

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.
Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20% a 50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

O que devo fazer se estiver com esses sintomas?

Depois de identificar alguns desses sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas, e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

Como é o tratamento para a febre amarela?

O paciente deve procurar atendimento médico imediato. O tratamento é sintomático, com repouso e com hidratação. Nas formas graves, o paciente pode necessitar de Unidade de Terapia Intensiva. Salicilatos devem ser evitados (ex. AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de hemorragias.

A vacina tem reações?

Sim. A reação mais frequente é a dor no local de aplicação, que tem intensidade leve e moderada e pode durar 1 ou 2 dias. Outras manifestações, que são consideradas sem gravidade, são febre com duração de até 7 dias, dor de cabeça e dor no corpo. Essa é uma vacina das mais seguras e eficazes, entretanto, raramente reações graves tem sido notificadas.

Quem não deve tomar a vacina?

A vacina está contraindicada para as gestantes, devido ao possível risco de infecção do feto pelo vírus vacinal, salvo em situações de alto risco de exposição. A vacinação em gestantes deverá ser analisada caso a caso. A vacinação poderá ser considerada, por exemplo, para as gestantes que residem no sítio onde foi encontrado macaco morto com febre amarela.
As mães que estejam amamentando crianças com até seis meses de idade não devem se vacinar, pelo risco de transmissão do vírus vacinal. Caso a vacinação seja imprescindível, a amamentação deverá ser suspensa por 10 dias após a vacinação. A mãe deverá ser orientada, sobre os procedimentos para extração e armazenamento do leite materno antes da vacinação para propiciar o aleitamento neste período. Crianças menores de 9 meses não devem ser imunizadas.

As pessoas com história de uma ou mais das seguintes manifestações anafiláticas após ingestão de ovo não devem se vacinar.: urticária, sibilos, laringoespasmo, edema de lábios, hipotensão, choque nas primeiras duas horas.

Pessoas com câncer e indivíduos que passaram por transplante também não devem ser imunizadas.
Todos com deficiência no sistema imune também devem consultar um médico antes de se vacinar.

Como proteger quem não pode tomar a vacina?

Nesses casos, devem ser utilizados métodos para evitar picadas de mosquitos e, no caso de viagem para área de risco, analisar a possibilidade de adiamento. Para quem mora em região de risco, o uso de repelentes, telas de mosquito, blusas de manga comprida e calças, além da manutenção de portas e janelas fechadas podem ajudar a evitar a exposição.
Macacos não são transmissores da febre amarela

Os primatas não transmitem a febre amarela, os transmissores são os mosquitos Haemagogus e Sabethes nas áreas silvestres e o Aedes Aegypti nas áreas urbanas. Os macacos servem como anjos da guarda, como sentinelas da ocorrência da febre amarela. A detecção da morte de um macaco, que potencialmente está contaminado com a febre amarela, pode nos dar tempo para adotar medidas de controle para evitar doença em seres humanos.
Em algumas cidades, os pequenos primatas estão sendo mortos por pessoas que estão má informadas sobre a doença que vem crescendo no Brasil. Além disso, matar animais é considerado crime ambiental pelo Art. 29 da Lei nº 9.605/98
A Divisão de Zoonoses de Sorocaba orienta que caso algum cidadão encontre um macaco morto, que entre em contato com o setor pelo telefone 3229-7333, para o animal ser recolhido e enviado à realização de exame pelo Instituto Adolfo Lutz.

Sorocaba é considerada área de risco? Quem deve se vacinar na cidade?

Sorocaba não é área de recomendação da vacina e possui dois públicos que devem ser vacinados: viajantes para áreas de recomendação da vacina e moradores/trabalhadores das regiões que recebem as ações preventivas contra a febre amarela que são orientadas pela Secretaria do Estado de Saúde.
Aos viajantes é oferecida a vacinação de segunda a sexta-feira em três Unidades Básicas de Saúde, que podem ser consultadas através do site – http://saude.sorocaba.sp.gov.br/destaques/vacinacao-contra-febre-amarela/
Desde o dia 3 de janeiro, a SES realiza ações preventivas contra a febre amarela em regiões com maior risco do vírus e próximas de matas. Os locais escolhidos a receberem a ação são feitos através de orientação da Secretaria do Estado de Saúde. Além disso, é o Estado quem fornece as doses da vacina que são únicas e para a vida toda. Sorocaba já realizou ações em Brigadeiro Tobias, Aparecidinha e nessa semana imuniza a área rural de Brigadeiro Tobias, Bairro dos Morros, João Romão e a região do Campolim, próxima do Parque do Matão.
Para consultar as cidades do Estado de São Paulo com recomendação vacina, basta acessar o site – http://saude.sorocaba.sp.gov.br/destaques/vacinacao-contra-febre-amarela/.

Em Sorocaba é aplicada a dose única ou a fracionada?

Até o momento, a cidade de Sorocaba aplica a dose única da vacina que tem validade para a vida toda. A orientação é feita pela Secretaria do Estado de Saúde que define quais municípios devem utilizar a dose única ou a fracionada. Quem já se vacinou, independente da época, pela dose única, não precisa ser revacinado.

 

Tags: