Endereço: http://agencia.sorocaba.sp.gov.br/equipe-multidisciplinar-da-sedu-realiza-formacao-sobre-os-cuidados/
Acessado em: 12/11/2019 - 21h53

Equipe Multidisciplinar da Sedu realiza formação sobre os cuidados com a voz

Por: Bruno Rodrigues, Elias Arcanjo

A Secretaria da Educação (Sedu), por meio da Equipe Multidisciplinar do Centro de Referência em Educação (CRE), realizou nesta segunda-feira (29), uma formação sobre “os cuidados com a voz” com professores, estagiárias e equipes gestoras das escolas municipais “Ana Cecilia Falcato Prado Fontes” e “Walter Carretero”, no Jardim Ana Paula Eleutério, na zona norte da cidade.

O encontro ocorreu dentro da reunião conjunta entre as equipes das duas unidades escolares e foi conduzido pela fonoaudióloga Angela Costa, Mestre em Saúde da Comunicação Humana pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e professora assistente da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS.

O uso da voz no ambiente escolar

Durante a palestra, Angela explicou aos presentes quais são as características das cordas vocais e como se dá o funcionamento da mesma durante o ato da fala, que é um dos principais instrumentos de trabalho do professor dentro e fora da sala de aula.

Na rotina escolar, a profissional explica que a articulação das palavras e a impostação de voz (projeção melhor da voz) interferem na recepção, por parte dos alunos, da mensagem emitida pelo professor. “Dentro da sala de aula ou na quadra poliesportiva, o docente não deve competir com os demais ruídos aumentando seu tom de voz, mas utilizar-se de outras estratégias (visuais ou lúdico-pedagógicas) para diminuir os demais sons ou barulhos e assim usar seu tom de voz convencional”, alerta.

Rotina de cuidados

A fonoaudióloga relata que, em razão da atividade executada e do ambiente no qual estão inseridos, os docentes e demais profissionais da escola precisam ter uma rotina de cuidados com a voz, pois o uso inadequado da mesma pode causar nódulos e fendas nas cordas vocais, que carecem de intervenção médica.

Angela elencou vários fatores que interferem na qualidade vocal, como as condições da sala de aula (limpeza adequada); mudança brusca na temperatura entre diferentes ambientes; a postura corporal do servidor; roupas justas que podem interferir na respiração; a ingestão de alimentos e bebidas que ocasionam secura na garganta; o uso de cigarros e determinados medicamentos; entre outros aspectos.

A fonoaudióloga também realizou com os presentes exercícios de relaxamento, aquecimento e desaquecimento vocal, os quais podem ser feitos de forma simples dentro do carro a caminho do trabalho ou já no ambiente escolar, antes do início das aulas, visando à preservação da voz.

Muito mais por Sorocaba!