Ídolo do esporte, Falcão encerra carreira vitoriosa no time de Sorocaba

Por: Amanda Vieira (programa de estágio) Supervisão Neide Barbosa
Foto: Divulgação

O jogador de futsal, considerado o maior de todos os tempos, abandona as quadras
aos 41 anos deixando um legado para os futuros atletas

Com uma carreira repleta de conquistas e uma bagagem carregada de histórias, o craque Falcão – que defende as cores do time de futsal da cidade de Sorocaba – está prestes a encerrar sua trajetória no esporte. De personalidade ímpar e feitos inigualáveis, o atleta se tornou referência e inspira milhares de pessoas no mundo.

Sorocaba chamou a atenção de Falcão há 15 anos, quando, através de visitas nas casas de alguns amigos, criou apreço pelo município e pensou em possibilidades de fazer com que o ambiente se tornasse seu lar. “A cidade me encantou muito. Coloquei na cabeça que queria fazer um projeto aqui e consegui realizar esse sonho”, conta.

A cidade teve grande ganho com a vinda de Falcão. Mesmo com amplo histórico na modalidade através do Torneio Aberto de Futsal ‘Cruzeiro do Sul’, o Cruzeirão, Sorocaba passou a ter ainda mais destaque desde a criação do clube. “Foi um sucesso absoluto e, hoje, o time é referência no Brasil e no mundo. Conseguimos levar o nome de Sorocaba para o mundo inteiro por meio dos títulos mundiais, na Tailândia e no Catar, que tiveram uma grande repercussão”, declara o rei do futsal.

Segundo o secretário de Esportes e Lazer (Semes), Simei Lamarca, a presença de Falcão contribuiu para o crescimento do esporte sorocabano. “Quando você trata de uma modalidade e tem uma referência totalmente positiva como ele, não poderia ter outra resposta que não fosse o sucesso. Sorocaba cresceu, ele deixou um legado em quatro anos na cidade e a minha torcida como gestor esportivo é que continue, não só como uma equipe, mas como uma geração”, enfatiza.

A maneira como joga, a vontade de reverter resultados em grandes decisões e a aproximação da torcida – inclusive dos clubes rivais – fizeram com que Falcão se destacasse entre os demais atletas. “Isso é uma conquista e uma responsabilidade muito grande. É assim há muitos anos, não só no Brasil, como do mundo inteiro. Eu me surpreendo cada vez mais em saber a importância que tenho para o público e também de ter o respeito e o carinho de grandes jogadores”, diz o atleta.

O legado de Falcão era algo inimaginável quando o atleta, ainda garoto, jogava bola na escola com os amigos. No início, o primeiro clube a contar com seu talento foi o Guapira, em São Paulo, mas não demorou muito para que o garoto paulistano chamasse a atenção do Corinthians, onde jogou pela primeira vez profissionalmente. “As coisas aconteceram rapidamente, tudo apareceu no momento certo e na hora certa”, destaca.

O craque ainda comenta que sua grande referência no meio esportivo foi o ex-jogador e, hoje, membro da comissão técnica do Magnus Futsal, Douglas Pierrotti, que o incentivou desde o começo. “Ele era uma estrela parando e eu um menino chegando. Fico muito feliz de ter tido o apoio dele no início da minha carreira, ele foi minha grande inspiração quando eu era moleque”, lembra.

A camisa 12, que sempre vestiu, foi a responsável por marcar gols importantes e conquistar grandes títulos. “Sou privilegiado de ter uma carreira vitoriosa e de ter passado por várias situações de superação”, destaca. Em meio a tantas competições e jogos decisivos, ter vestido a camisa amarela da seleção brasileira, é uma das conquistas da qual se recorda com muita emoção. “Em especial a Copa do Mundo de 2012, que foi um momento bem marcante na minha carreira”.

Na vida de um atleta, o momento de pendurar as chuteiras é sempre crucial. Falcão analisa essa decisão como necessária para sua saúde. “Sempre fui um atleta muito regrado, acredito que os números sejam por causa disso também, mas quando comecei a ter dores, tive que fazer uma escolha. O momento certo de parar é esse e eu estou muito consciente”.

O fim da carreira de Falcão não é sinônimo do abandono ao esporte. Além de continuar em Sorocaba como dirigente do clube, o atleta já está planejando projetos sociais e eventos beneficentes para o próximo ano. “As ideias estão formadas, só falta colocar tudo em prática, ainda mais agora que sou um sorocabano de coração”, afirma o jogador.

Aos amantes do esporte que desejam construir uma carreira neste meio, Falcão deixa uma mensagem de incentivo. “Todo jovem tem sonhos, então, é importante que lute por eles, mas, se algo não der certo, que não largue a escola, que crie laços de amizade, e, o mais importante, que o esporte faça parte da vida de qualquer pessoa em qualquer fase da vida.”

Falcão encantou o mundo com suas jogadas, dribles, conquistas e prêmios. Para Simei Lamarca, o atleta sempre será lembrado por todos. “Ele é uma referência do futsal, assim como Michael Jordan no basquete, Pelé no futebol e Ayrton Senna na Fórmula 1. Falcão está nesse mesmo patamar e, sem dúvida vai ser lembrado para sempre”, conclui.

Tags: