ESPECIAL 50 ANOS ZOO – Nos bastidores do zoo, especialistas também cuidam de animais resgatados

Por: Gabriel Fernando (programa de estágio)

Foto: Gilberg Antunes

 Quando recuperados, os bichos são devolvidos à natureza

Além de cuidar de cerca de 1.200 animais de 300 espécies que fazem parte do plantel do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, uma equipe de especialistas da área de biologia, veterinária e nutrição também ajuda na recuperação de outros bichos silvestres que são resgatados da natureza, seja por estarem machucados ou até mesmo filhotes que são abandonados pelas mães. Esse trabalho ocorre nos Setores de Biologia e Veterinária do zoo, onde há um “mini-hospital”, um local em que os visitantes do zoo não têm acesso.

O médico veterinário residente do zoológico, Leandro Reis, explica que o processo de cuidados para tratar de um animal doente ou machucado que chega de resgate através da Polícia Ambiental ou do Corpo de Bombeiros, não é tão simples, mas já faz parte da rotina do “Quinzinho de Barros”.

“O tratamento desses animais que chegam ao zoo começa com a quarentena, antes de juntá-los aos outros que já estão sendo medicados. Com isso descobrimos se eles estão com alguma doença infectocontagiosa ou se está machucado”, esclarece Leandro.

Para tratar desses animais, o zoológico conta com uma equipe técnica formada por três biólogos – um responsável pelos mamíferos, um que cuida dos répteis e outro que cuida das aves -, além de um médico veterinário, quatro veterinários residentes, um zootecnista terceirizado. “Trabalhamos em equipe e cada um tem uma grande importância aqui dentro. O zootecnista, por exemplo, cuida para que todos os animais tenham uma alimentação saudável”, conta o residente.

Além disso, no “mini-hospital” também são realizados exames de rotina com os animais do zoo, de forma preventiva, como pesagem do animal, radiografia, ultrassonografia, coleta de sangue e fezes, ecocardiograma e até endoscopia.

 

Tucano machucado

Um dos animais que chegaram ao zoo recentemente foi uma fêmea adulta de tucano, trazida pela Polícia Ambiental ao zoo, com as penas quebradas. “Estamos dando vitamina A para que ela possa se recuperar o quanto antes e daí avaliarmos a possibilidade de devolvê-la à natureza”, comentou.

Para isso alguns critérios são avaliados pela equipe do zoo e então é solicitada uma autorização da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins, para que eles sejam devolvidos ao habitat natural.

O veterinário enfatiza que os animais ficam na sala de recuperação o tempo necessário que precisarem para o tratamento, para depois serem colocados em um recinto maior. No caso de aves, para que elas possam treinar o vôo, aprender a caçar de novo, antes de serem devolvidos à natureza.

 

Serviço

Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”

Endereço: rua Theodoro Kaisel, 883 – Vila Hortência

Horário de funcionamento: terça-feira a domingo, das 9h às 17h

Telefone: (15) 3227.5454

Ingressos: R$ 8 para pessoas de 12 a 59 anos; e R$ 4 para crianças de 6 a 11 anos, além de estudantes dos ensinos Fundamental, Médio, Técnico ou Superior, reconhecidos pelo MEC, mediante comprovação de matrícula ou carteira estudantil dentro do prazo de validade.

Crianças até 5 anos, idosos acima de 60 anos completos e pessoa com deficiência, garantindo-se ao seu acompanhante, quando necessário e quando comprove estar nessa condição, são isentos de pagamento do ingresso. Além disso, alunos, professores e monitores das redes municipal e estadual de ensino público, com sede em Sorocaba, acompanhados pela escola; participantes de instituições assistenciais, com atuação social, cultural e ambiental são isentos de pagamento do ingresso de terça a sexta-feira.

 

 

 

 

 

 

Tags: