Prefeito apresenta projeto de Reestruturação da Saúde ao Clero da Igreja Católica

Por: Marcelo Almeida Jr

Foto: Rafael Baddini

Com o propósito de ampliar o conhecimento sobre o Projeto de Reestruturação da Saúde, o Prefeito José Crespo esteve na manhã desta quinta-feira (10), com o Clero da Arquidiocese de Sorocaba. O objetivo da apresentação foi mostrar de forma transparente o porquê da escolha pela gestão compartilhada para fortalecer a Rede de Atenção Básica. O motivo principal é que até o final deste ano os gastos com pessoal na Prefeitura de Sorocaba tendem a ultrapassar o limite de alerta, previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (48%). Dessa forma, o Poder Executivo fica impedido de contratar médicos por meio de concurso público. O evento ocorreu no Centro Social São José, situado à rua Capitão Pedro Tavares, 315, Largo do Divino.

No início da apresentação, o Prefeito José Crespo ressaltou a importância do Clero entender o projeto que beneficiará a população de Sorocaba.“É um assunto de extrema importância à sociedade e ficamos felizes e agradecidos quando abrem as portas para que possamos explicar nossa intenção de melhorar a saúde da cidade de forma transparente”, destacou o chefe do Poder Executivo.

A apresentação realizada pela enfermeira e Gestora da Atenção Básica, Fernanda Coradini, demonstrou que Sorocaba possui 323.090 pessoas que são SUS dependentes. De acordo com as estatísticas preconizadas pelo Ministério da Saúde como sendo modelos ideais, os atendimentos nas unidades de saúde devem ser de 63% na Atenção Básica (Unidades Básicas de Saúde), 15% nas urgências e emergências (Unidades Pré hospitalares e Prontos Atendimentos) e 14% especialidades (Policlínica) . Sorocaba possui uma realidade totalmente diferente com 33% dos atendimentos Atenção Básica, 53% nas urgências e emergências e 14% nas especialidades.

Estes números revelam que as mudanças são necessárias para garantir mais qualidade de vida aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde). Nos últimos 10 anos, houve aumento na população, aumento da população SUS dependente por conta da crise econômica, perda de profissionais (por conta de exonerações, aposentadorias e óbitos) e muito pouco investimento na Rede de Atenção Básica. Em decorrência desses fatos, as consequências geraram dificuldade de acesso ao atendimento, aumento no tempo de espera para agendamento, descontentamento da população e profissionais, aumento na demanda nos serviços da Urgência e Emergência, aumento da demanda reprimida e piora nos indicadores da saúde.

Para complementar a apresentação ao Clero, o Controlador Geral do Município, Mário Mortara, elencou que é possível fazer mais com o dinheiro disponível no orçamento público. “É preciso muito cuidado na hora de planejar a despesa e fazer o gasto da maneira mais eficiente para a coletividade”, explicou Mário. O controlador também demonstrou um comparativo dos gastos de duas UPHs, uma com gestão compartilhada e outra por meio próprio (concurso). As duas unidades exemplo foram a Zona Leste e a Zona Oeste.

Com a unidade de gestão compartilhada (Zona Leste) obtivemos uma economia de 20% nos custos de atendimento de urgência e emergência. Outra abordagem de importância foi o verdadeiro papel da cidade, que é a promoção da saúde através das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Segundo Mário, a atenção básica cria vínculo com a comunidade, melhora o bem-estar da população, reduz a demanda pelos serviços de alta complexidade e os gastos com internação hospitalar. Além disso, um atendimento na UBS custa R$ 34,00, enquanto o atendimento de urgência e emergência tem um custo de R$ 156,25.

Após a demonstração do projeto, foi aberto um espaço para que os membros do Clero pudessem sanar dúvidas por meio de questionamentos feitos aos servidores da Prefeitura. Também participaram da ocasião os secretários municipais: Marina Elaine Pereira (Saúde), Alexandre Robim (Chefe de Gabinete) e Eric Vieira (Gabinete Central). Além da presença do Arcebispo Dom Júlio Akamine, Padre João Alfredo e demais padres e membros do Clero da Arquidiocese de Sorocaba.

Tags: