Prefeito e equipe apresentam reforma da saúde a comunidade maçônica

Por: André J. Gomes

Na manhã deste sábado (14), o Conselho Maçônico de Sorocaba, composto pelos presidentes das 33 lojas maçônicas da cidade, assistiu a uma apresentação especial sobre o projeto de reestruturação da assistência à saúde no município.

Realizado no Templo da A.R.L.S. Fraternidade Acaciana, o encontro contou com as apresentações do prefeito José Crespo, do controlador geral do município, Mário Mortara, da secretária da saúde, Marina Elaine Pereira, e da gestora Fernanda Corradini, responsável pela área de Atenção Básica da Secretaria da Saúde.

O objetivo foi esclarecer e expor em detalhes, com números e fatos, todos os pontos relacionados à reforma sugerida pela Prefeitura nos serviços de saúde.

Os membros do conselho maçônico que representaram suas lojas no encontro compreenderam, entre outras questões, que um dos maiores objetivos da reestruturação é fazer mais pela saúde com o dinheiro disponível no orçamento público, adotando sobretudo a gestão compartilhada. Um bom exemplo é a Unidade de Saúde da Zona Leste, onde a Prefeitura obteve uma economia de 20% nos custos de atendimento de urgência e emergência.

Outra característica da reestruturação é resgatar o verdadeiro papel do município nessa área: a promoção da saúde através das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Além de criar um vínculo com a comunidade, melhorar o bem estar da população, reduzir a demanda pelos serviços de alta complexidade e os gastos com internação hospitalar, um atendimento na UBS custa R$ 34,00, enquanto o atendimento de urgência e emergência tem um custo de R$ 156,25.

Atualmente, Sorocaba possui 323.090 pessoas dependentes do SUS. De acordo com as estatísticas preconizadas pelo Ministério da Saúde como modelos, os atendimentos nas unidades de saúde devem ser de 63% na Atenção Básica (Unidades Básicas de Saúde), 15% nas urgências e emergências (Unidades pré-hospitalares e Pronto—atendimentos) e 14% especialidades (Policlínica). No entanto, Sorocaba tem uma realidade diferente, com 33% dos atendimentos na Atenção Básica, 53% nas urgências e emergências e 14% nas especialidades.

“O objetivo da reestruturação é ampliar cada vez mais a qualidade da assistência oferecida às pessoas que utilizam a saúde pública na cidade, e para isso a gestão compartilhada é imprescindível”, explica Mário Mortara. “Prova disso é que as experiências que já temos nesse sentido são muito bem avaliadas pela população”, completa o controlador.

“Mais do que uma satisfação a um público tão numeroso e importante, formado pelos companheiros maçons, esta reunião comprova o respeito que temos a todas as instâncias da sociedade e o nosso compromisso de desmontrar exatamente o que aconteceu hoje na saúde pública e o que estamos fazendo para torná-la ainda melhor”, concluiu o prefeito José Crespo.

Participaram também do encontro os secretários Alexandre Robim (Chefe do Gabinete do Poder Executivo), Hudson Zuliani (Licitações e Contratos), Fábio Pilão (Conservação, Serviços e Obras), Eric Vieira (Gabinete Central) e Eloy Oliveira (Comunicação e Eventos).