Prefeito José Crespo participa de solenidade da Revolução de 32

Por: Viviane Gonçalves

Em um clima agradável e familiar, o CPI-7 (Comando do Policiamento do Interior 7) foi palco da solenidade da Revolução Constitucionalista de 1932, na manhã desta sexta-feira (06). O prefeito José Crespo, secretários municipais, autoridades e dezenas de famílias participaram da cerimônia. Diferente das comemorações anteriores, na qual a cerimônia era realizada na Praça 9 de julho, o pátio do quartel da Polícia Militar foi organizado e estruturado para receber o público e a recordação da data, que completa 86 anos.

Durante a cerimônia, José Crespo falou sobre a importância do evento. “Quero parabenizar a organização do evento por lembrar de forma tão bonita uma data importante como esta, como o maior movimento cívico da cidadania nacional. Há algo que devemos fazer: contribuir para mudarmos o mundo, pois infelizmente vivemos em uma época de violência, desagregação familiar e hoje é um dia para refletirmos sobre como podemos e devemos agir para melhorarmos o mundo em que vivemos. Eu sou representante temporário desta cidade e afirmo que estamos trabalhando para isso”, disse Crespo.

Com conhecimento e relatos importantes, o professor e historiador de Sorocaba, Adilson Cézar, relembrou o 9 de julho com uma homenagem ao movimento. “Este evento é um exemplo de superação histórica da discórdia entre irmãos e sobretudo de confirmação da defesa de princípios básicos da liberdade pela ordem. Esperamos que abnegação de nossos antepassados seja para todos nós exemplo ímpar para que possamos alcançar objetivos mais amplos e dignos para as futuras gerações”, relatou ele.

Responsável pelo policiamento da região, o Coronel e Comandante Antonio Valdir Gonçalves Filho falou do orgulho da PM em realizar o evento. “Para mim é um orgulho esta comemoração. Temos aqui hoje o Exército Brasileiro, a Marinha do Brasil, Policiais Militares e a Guarda Civil Municipal e os nossos queridos Escoteiros. Isso demonstra a sintonia e a união que trabalhamos. Agradeço também os nossos parceiros e minha equipe que está à frente deste evento. Para gente da Polícia Militar é uma grande satisfação receber este número de pessoas com mesmos valores que os nossos e que acreditam em um Brasil muito melhor”, afirmou o Cel. Antonio Valdir.

Além da Polícia Militar, o Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba e a Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, ajudaram a organizar um evento diferente dos anos anteriores, inclusive antecipando a data da comemoração. “Foi uma questão estratégica, como este ano o feriado de 9 de julho cai numa segunda-feira, por conta de um feriado prolongado, que poderia atrapalhar o público que hoje está aqui, conseguimos antecipar a comemoração, ainda mais com as atrações que trazemos neste dia”, contou a Tenente Coronel Geórgia Mendes.

A atração principal do evento ficou por conta da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro, que tem 210 anos de existência e fez uma belíssima apresentação com músicas e performances.

Também participaram do evento a primeira dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Lilian Crespo, os secretários Werinton Kermes (Cultura e Turismo), Suélei Gonçalves (Cidadania e Participação Popular), Alexandre Robim (Chefe de Gabinete), Jeferson Gonzaga (Segurança e Defesa Civil), Cintia de Almeida (Igualdade e Assistência Social), Fernando Oliveira (Abastecimento e Nutrição),  Luiz Carlos Franchim (Urbes), Carlos Alberto Rocco Junior (Corregedor Geral), Roberto Freitas (Parque Tecnológico), Laerte Molleta ( Procon), além de Dorotéa Cézar (IHGGS) e José Aparecido Sanches Severo (Deinter).

 

Revolução de 32

A Revolução Constitucionalista de 1932 foi um movimento armado que ocorreu no Estado de São Paulo e que tinha por objetivo a derrubada do Governo Provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova Constituição para o Brasil.

 

Banda de Fuzileiros Navais

A banda tem em sua composição: mor, auxiliar do mor, schellenbaum, baliza, bombos, caixas de guerra, surdos, quadriton, pratos, liras, gaitas, flautins, trompetes e trombonitos. Considerada uma das maiores bandas marciais do mundo, distingue-se pela presença de gaitas escocesas (gaitas de fole) entre seus instrumentos musicais, presente da Rainha da Inglaterra ao USS Saint Louis, navio este pertencente à Marinha Americana.

Em 1951, quando esse navio foi incorporado à Marinha Brasileira, com o nome de Cruzador “Tamandaré”, sua tripulação presenteou a Banda Marcial com 16 gaitas escocesas, em agradecimento ao Corpo de Fuzileiros Navais. Essa tradicional Banda Marcial vem divulgando a Marinha do Brasil e o Corpo de Fuzileiros Navais.

 

Tags: