Prefeitura entrega obras do coletor Pirajibu na 5ª feira

Por: Carlos Lara - imprensa@saaesorocaba.sp.gov.br

Único córrego afluente do rio Sorocaba no município até então não saneado, o Pirajibu terá as obras de implantação do seu coletor-tronco de esgoto entregues na próxima quinta-feira (18), pela Prefeitura de Sorocaba e Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), em cerimônia marcada para as 15h, na rua Atílio Farsula com Zemira Rosa, no Parque Vitória Régia.

No total, o coletor-tronco tem 11.053 metros de tubulações de concreto armado instaladas, com diâmetros variando de 500 a 800 milímetros, com início na avenida Conde Zeppelin, percorrendo toda a margem esquerda do seu curso, nas regiões do Éden e do Cajuru, até a sua foz no rio Sorocaba.

Na primeira etapa das obras, as tubulações foram implantadas pelo método convencional, com a abertura de valas, e posteriormente foi executada a fase mais complexa, em profundidades de até 10 metros, com a utilização de um equipamento denominado shield (“tatuzão”), que escava o solo e crava os tubos de forma simultânea.

Travessia sob o rio Sorocaba
A fase final das obras ocorreu no local da cerimônia de inauguração, onde houve a instalação dos tubos sob o leito do rio Sorocaba, local em que está instalado o “clam-shell”, equipamento que descerá a uma profundidade de 7,5 metros para realizar a limpeza do coletor, onde se acumulam os sedimentos. Foram duas linhas de tubos atravessando o rio, cada uma de 600 milímetros de diâmetro, a 2,5 metros abaixo do seu leito.

Para que essa travessia sob o rio Sorocaba pudesse ser realizada, foi necessário estabilizar o solo para a escavação dos dois poços, um em cada margem, devido à umidade, o que foi executado com uma técnica avançada, denominada jet-grouting, que consiste na injeção de argamassa de cimento no subsolo.

Esgoto será coletado e tratado
O coletor-tronco do córrego Pirajibu permite que todo o esgoto gerado das regiões do Éden e Cajuru, que até então era despejado em seu leito, seja agora coletado, bombeado por Estações Elevatórias e levado até a Estação de Tratamento de Esgoto S-2 (ETE S-2), que está em operação desde 2010.

Inicialmente, o coletor beneficiará uma população de 27.500 pessoas, com projeção para 60 mil habitantes até 2050. As obras tiveram um custo total de R$ 19,5 milhões, incluindo recursos próprios da autarquia e financiamento do Programa Saneamento Para Todos, do Governo Federal.

Tags:,