Prefeitura mobiliza secretários na luta contra o mosquito Aedes

Por: Evenize Batista - ecbsilva@sorocaba.sp.gov.br

Secretários titulares e adjuntos foram reunidos para conhecer o plano de contingência das arboviroses e foram informados sobre como devem atuar nas suas respectivas áreas

A Secretaria da Saúde de Sorocaba apresentou o Plano Municipal de Contingência para Combate às Arboviroses, na manhã desta quinta-feira (16), para os secretários municipais e secretários adjuntos. O evento foi realizado no auditório da Biblioteca Municipal e teve como objetivo dar início a uma mobilização de toda administração nas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti e prevenção das quatro doenças transmitidas pelo vetor: Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela.

O secretário da Saúde, Rodrigo Moreno, destacou aos presentes que após a epidemia de dengue registrada em Sorocaba em 2015, o risco de um novo episódio neste ano está acentuado principalmente devido ao elevado índice de infestação do mosquito na cidade. “Nessas condições e, considerando que ainda não estamos no período crítico, quando geralmente é registrado o aumento de casos, precisamos da mobilização forte de todos os setores da administração. Cada secretaria tem a sua parte a ser feita e para isso deve acionar todos os seus funcionários para que colaborem”, acentuou.

A enfermeira Solange Leite Ismerin, da equipe gestora da Saúde, fez a apresentação dos dados e explicou que o Plano de Contingência deveria ter sido revisto e atualizado em novembro, mas esse trabalho não foi feito. A atual gestão determinou em caráter emergencial a revisão do plano no mês de janeiro e, simultaneamente, deu início a vária ações de prevenção e controle, como reforço das equipes que trabalham nas ruas e treinamento de profissionais de saúde. “Se antes trabalhávamos com prevenção e combate à dengue, agora temos quatro doenças para monitorar e combater”, comenta.

O Plano de Contingência contempla informações detalhadas das quatro doenças, seus respectivos protocolos de atendimento e todos os fluxos dos serviços e das informações referentes a elas na cidade. Também foram apresentados dados do boletim epidemiológico divulgado no início do mês e que aponta situação de alerta quanto à infestação do mosquito transmissor na cidade. “O levantamento do coeficiente larvário foi feito em janeiro e o resultado foi de 2,5 pontos, classificado como alerta. Não há situação confortável em nenhuma região da cidade”, frisa Solange. Conforme último boletim epidemiológico, Sorocaba possui nove casos positivos de dengue, dos quais oito foram importados e um de contaminação local (autóctone), um caso importado de Chikungunya e não houve confirmação de casos de Zika e Febre Amarela.

A secretária de Igualdade e Assistência Social, Cíntia de Almeida, participou da apresentação e concordou que trata-se da necessidade de uma força-tarefa envolvendo toda cidade e deve ter uma resposta efetiva de todas as pastas da administração municipal. “Como vimos aqui, trata-se de um risco muito grande e cada secretaria precisa atuar. Nós temos 18 unidades para cuidar e vamos mobilizar toda nossa equipe para agir preventivamente não apenas no ambiente de trabalho, mas que levem isso para a vida particular”, comentou.

Atingir funcionários e a população com a disseminação de informações sobre prevenção serão os focos da Secretaria da Habitação e Regularização Fundiária. Para isso, o titular da pasta, Maurício Campanati informou que sua equipe abordará dicas de prevenção com os munícipes atendidos. “Também atuaremos no local de trabalho e na nossa unidade externa fazendo a nossa parte nessa prevenção”, comentou.

Tags:, , ,