Prefeitura reduz pela metade o custo com contas de água em prédios públicos

A Prefeitura conseguiu reduzir em mais da metade os valores das contas da água consumida nos cerca de 450 prédios públicos do município. O gasto anual de R$ 7,7 milhões agora está estimado em R$ 3,1 milhões, uma redução de 6O%. O trabalho foi realizado pela Secretaria de Licitações e Contratos (Selc), conforme orientação do prefeito José Crespo, para que a administração adote ações que gerem economia. Até outubro de 2013, todos os próprios municipais eram isentos do pagamento de contas de água.

Pelo contrato especial firmado entre a Prefeitura e o Saae-Sorocaba, a tarifa para os prédios públicos municipais passou a ser 60% inferior, em relação à tarifa residencial, que era a praticada pelo Saae-Sorocaba para a Prefeitura. Foi levado em consideração que a água consumida nos prédios públicos do município é usada em benefício dos cidadãos da cidade, como por exemplo, nas escolas, creches ou equipamentos de saúde.

A conquista na redução da tarifa foi resultado de intenso trabalho da Secretaria de Licitações e Contratos (Selc) junto à Secretaria de Recursos Hídricos. O consenso foi aprovado pela agência reguladora ARES PCJ. O secretário de Recursos Hídricos e diretor geral do Saae-Sorocaba, Ronald Pereira da Silva, explica que a ARES PCJ, que inclusive faz a regulação da tarifa fixada pela autarquia, consentiu o valor diferenciado à Prefeitura.

A chefe da Seção de Custos e Preços de Referência da Selc, Aliane Mendes, enfatiza que Prefeitura se preocupa em evitar desperdícios, faz ações de conscientização e por isso a administração considera que a isenção da tarifa não seja a mais adequada.

Gestão evita R$ 583 mil em gastos com vazamentos

Durante todo o ano de 2017 a Prefeitura identificou vazamentos, e a exemplo do que pode fazer qualquer consumidor do Saae-Sorocaba, pediu a revisão das contas de água. Assim, evitou o pagamento de R$ 583 mil referentes às perdas por fugas em tubulações de 24 imóveis.

O valor das contas emitidas para os 24 imóveis com contas elevadas por causa dos vazamentos somavam R$ 1.025.020,92. Com a revisão, a Prefeitura pagou R$ 441.536,24, o que significou a redução de R$ 583.484,68 em gastos.
A Seção de Custos e Preços de Referência da Selc é a responsável pelo constante monitoramento para detectar as oscilações significativas no consumo. O chefe da Divisão de Pesquisa e Análise de Custos e Preços da Selc, Pablo Eduardo de Camargo, enfatiza que também são feitas campanhas e ações de conscientização o consumo consciente de água nos imóveis do município.

Parceria com o Saae-Sorocaba combate perdas

A Prefeitura e o Saae-Sorocaba atuam em parceria, no combate às perdas nos prédios públicos. Nas ocasiões em que a própria Selc não consegue identificar a causa que elevou o gasto, o Saae-Sorocaba colabora com a equipe de caça vazamentos.
A equipe de caça vazamentos faz parte do Programa de Redução e Controle de Perdas da autarquia, e no auxilio à Prefeitura, identifica vazamentos na área interna dos imóveis públicos. Na sequência, as equipes da Secretaria de Conservação, Serviços e Obras realizam os reparos necessários para resolver o problema.