Prefeitura põe fim a vazamento de 20 anos em reservatório de água

A Prefeitura, por meio do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba (Saae-Sorocaba), acabou com o vazamento que existia há 20 anos, em um dos reservatórios do Centro de Distribuição da Vila Santana. Essa ação foi concluída nesta semana e atende o plano de governo do prefeito José Crespo: reduzir os índices de perdas no sistema de distribuição de água tratada em Sorocaba. A cada mês, estima-se que ao menos um milhão de litros de água eram perdidos pela fissura no reservatório semienterrado, com capacidade para dois milhões de litros.

A tarefa exigiu o esvaziamento e a inutilização do reservatório pelo período de três semanas. O secretário de Recursos Hídricos e diretor geral do Saae-Sorocaba, Ronald Pereira da Silva, observa que, um dos desafios vencidos, foi o de realizar tal trabalho sem interromper o fornecimento de água para os bairros Vila Santana, Santa Rosália e outros nas imediações. “Com o planejamento e as manobras, mantivemos o reservatório elevado abastecido para atender os consumidores, e assim conseguimos sanar o vazamento no semienterrado”, comemora.

O diretor Operacional de Água do Saae-Sorocaba, Marcelo Moretto, calcula que em duas décadas, o desperdício foi algo em torno de 260 mil metros cúbicos de água tratada. “Como a capacidade de armazenamento no semienterrado é de dois mil metros cúbicos, toda a água perdida pelo vazamento durante os 20 anos, daria para encher aquele mesmo reservatório 130 vezes”, declarou. A cada novo dia foram desperdiçados pelo vazamento 36 metros cúbicos, o suficiente para, diariamente encher uma vez, os reservatórios de 36 casas equipadas com caixas de mil litros.

O diretor Moretto explica que, no Centro de Distribuição da Vila Santana, há dois reservatórios, o elevado e o semienterrado. O reparo foi feito no semienterrado. Apesar do vazamento ter permanecido por tantos anos, a estrutura do reservatório não danificou, pois no passado foi construído um sistema de drenagem, para lançar tudo o que vazava na rede de água pluvial.