Projeto de Aulas Domiciliares já tem 22 inscritos em Sorocaba

Por: Viviane Gonçalves

Uma das novidades para o ano letivo 2018 da Rede Municipal de Ensino, está prestes a começar e trará benefícios às crianças que estão impossibilitadas de irem até a escola por algum afastamento médico. O Projeto das Aulas Domiciliares, proposto pela Secretaria de Educação, está com 22 crianças inscritas para o ano letivo de 2018. O atendimento faz parte de um projeto desenvolvido pela Secretária Marta Cassar e sua equipe de gestão, alinhadas com as ações do plano de governo do Prefeito José Crespo, que tem por objetivo atender mais e melhor as crianças de Sorocaba.

Marta explica que o projeto foi desenvolvido para atender estudantes, seja da educação infantil ou do ensino fundamental, que estejam afastados da escola por impedimentos médicos a mais de 120 dias. Este é o caso de uma das inscritas, Maria Giovana Ferreira da Silva, de 14 anos, que está há 6 meses sem frequentar a escola, por problemas de saúde, “ela tem cardiopatia, já passou por algumas cirurgias e necessita de cuidados, pois tem várias limitações. Ela anda um pouco e precisa descansar e quando chega a época do ano com muito vento e frio, ela não pode se expor para não correr o risco de ficar doente” contou Magali Ferreira da Silva, mãe da menina.

Maria Giovana estudava em uma escola particular, mas teve que sair, mesmo contra sua vontade, para cuidar de sua saúde.  A mãe lembra que este problema de estar mais suscetível a determinadas doenças, não é sempre, há meses em que ela fica com a imunidade melhor, podendo ir à escola, mas por não ser uma condição efetiva da menina, a família optou por não arriscar. Quando souberam do projeto das aulas domiciliares da prefeitura, ela foi imediatamente se inscrever, “eu estou muito feliz, minha filha não pode ficar sem aprender, é direito dela e agora vai conseguir, de uma maneira segura”, disse Magali.

Para Maria Giovana, a oportunidade é muito importante para que ela não desista dos sonhos, “eu adoro matemática, estou com saudade das professoras, espero que as que venham aqui sejam tão legais, quanto a que eu tive”, desabafou Maria.

A expectativa é a mesma da aluna Thalita da Silva Lima, de 12 anos. Desde que foi diagnosticada com Lupus, a estudante que tem muita dor, está afastada da escola para se preservar por conta da imunidade baixa, “A Thalita era uma criança cheia de vida, extrovertida, feliz, gostava de ir à escola, fazer amigos e num instante sua vida mudou do dia pra noite. Ficou doente, com várias restrições, limitações, conseguindo ir à escola até começo de março de 2017 e depois com muitas dores, mal estar, sonolência devido às medicações, idas e vindas frequentes a médicos, hospitais não conseguiu ir à escola”, contou Claudineide da Silva, mãe dela.

Com o Projeto das Aulas Domiciliares, a adolescente voltará a aprender de forma segura,” O projeto vai ajudá-la a retomar pelo menos uma parte da rotina que ela tinha antes, que é estudar, ter conhecimento, aprender e vai ajudar também muitas outras crianças que estejam nessas condições ou outros tipos de limitações”, conclui ela.

A nova modalidade foi criada para que este aluno não perca a importante relação com o professor, “toda criança tem o direito de estudar e nós temos o dever de proporcionar o estudo delas. Este projeto foi muito bem elaborado pela nossa equipe pedagógica e aprovação imediata do Prefeito José Crespo, estamos muito contentes que ele funcionará logo,” contou Marta Cassar.

 Na prática o projeto levará dois professores da rede com cargas atribuídas até a casa deste aluno, com uma carga semanal de 8 horas. Os alunos receberão as aulas na presença de familiares e/ou responsáveis. “é muito importante ter a presença do responsável, para que ele possa acompanhar a evolução do aluno”, contou Marta.

O próximo passo é dar treinamento aos professores, que já foram selecionados, para esta modalidade que até agora são 44, porém o número pode mudar já que as inscrições permanecem durante todo o ano. O início das Aulas Domiciliares está previsto para março. Quem tiver interesse ou quiser outras informações, pode ligar para a Secretaria de Educação (15) 3237-9080. A SEDU está localizada à Rua Artur Caldini, 211, no Jardim Saira.

 

Maria Giovana e a mãe Magali da Silva

Maria Giovana e a mãe Magali da Silva

 

Thalita e a mãe Claudineide

Thalita e a mãe Claudineide

Tags: