Projeto incentiva amor pela leitura desde o berço

Por: André J. Gomes

Cada vez mais cedo. É assim que a leitura chega até as crianças na rede municipal de ensino em Sorocaba. A partir do berçário, os alunos têm contato direto com os livros, em um processo que antecede a alfabetização e desenvolve futuros leitores com critério, atenção e carinho.

O Centro de Educação Infantil “Elvira Nani Monteiro” – CEI 33, no Jardim Nova Esperança, é uma das unidades em que a aproximação entre crianças e livros acontece diariamente. Quase 170 alunos do berçário à creche 3, com idades entre quatro meses e 3 anos, participam de dinâmicas nas quais manipulam livros, ouvem histórias, reúnem-se em pequenos grupos e interagem de modo simples, desenvolvendo aos poucos o gosto por histórias, personagens e narrativas.

“Entre tantos outros benefícios, o projeto desenvolve a autonomia das crianças em sua relação com o mundo. Aos poucos elas se familiarizam com os livros, desenvolvem afeto por eles e isso incentiva sua imaginação, sua criatividade e, principalmente, a sensibilidade de entender o outro como a si mesmo”, explica a diretora da unidade, professora Joyce Campos.

Uma equipe composta por 54 profissionais, entre professores, auxiliares, estagiários e cuidadores, participa das atividades, enriquecidas com músicas e materiais cenográficos para contar as histórias e conquistar cada vez mais a atenção dos alunos.

Esse trabalho desenvolvido na rede municipal de ensino em Sorocaba confirma a percepção de inúmeros especialistas no mundo inteiro, segundo os quais o hábito da leitura desde cedo é um benefício que fará a diferença na história da criança para a vida inteira.

De acordo com essa corrente de pensamento, o contato com os livros já na primeira idade auxilia no desenvolvimento intelectual e emocional dos alunos, aprimora suas habilidades de comunicação, interpretação, raciocínio e crítica, ajudando-os a pensar e agir, práticas indispensáveis em seu futuro. “Nós acreditamos que assim é possível fazer a diferença na vida das nossas crianças desde já, por meio de um trabalho desenvolvido com seriedade, técnica, critério e, principalmente, com muito amor”, conclui a diretora Joyce.

 

Tags: