Same registrou 10.948 atendimentos no ano passado

Por: Esdras Felipe Pereira (Programa de Estágio) Supervisão: Tânia Franco – ttferreira@sorocaba.sp.gov.br

 

 

Número leva em conta consultas com médicos clínicos infectologistas e ginecologistas obstetras

O Serviço de Atendimento Municipal Especializado (Same) registrou, ao longo de 2015, um total de 10.948 atendimentos prestados por médicos clínicos infectologistas e ginecologistas obstetras. O Same atua de maneira integrada ao Centro de Testagem e Acolhimento (CTA), antigo Centro de Orientação e Apoio Sorológico de Sorocaba (Coas), com vistas a acompanhar e tratar pacientes diagnosticados com HIV (vírus causador da Aids), Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) ou hepatites virais B e C.

De acordo com a coordenadora do Same, Adriana Michel Vieira Martinez, o atual quadro de profissionais é formado por seis médicos clínicos infectologistas (sendo um deles especializado em atendimento infantil), dois ginecologistas e um urologista. Além disso, por se tratar de um acompanhamento multiprofissional, também compõem a equipe enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, assistentes sociais, dentistas, psicólogos, farmacêutico e dermatologista.

Tendo em vista a integração ao CTA, Adriana explica que, no caso de os testes diagnósticos gratuitos – de HIV e triagem para DSTs e hepatites virais B e C – atestarem positivos, são feitos o acolhimento e aconselhamento ao paciente e, em seguida, a marcação de consulta com os profissionais do Same, o que segundo ela tem apresentado demanda considerável. No caso das mulheres, a consulta também pode ser marcada a partir de encaminhamento das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município.

O Same passou a funcionar, desde 2010, na atual unidade, localizada na Rua Manoel Lopes, 220, na Vila Hortência. Em comparação à antiga sede, “o ganho foi muito grande”, aponta Adriana. “Antes funcionava numa casa adaptada, agora o espaço é muito maior”, destaca, sobre o espaço de mais de 800 metros quadrados de área construída. Hoje, aliás, a coordenadora explica que o serviço é tido como de referência. “É claro que as críticas são feitas, mas recebemos muito mais elogios. Inclusive têm alguns representantes de medicamentos que vêm de outras cidades e elogiam bastante”, comenta.

Além do crescimento profissional, Adriana conta ter evoluído pessoalmente com o trabalho no Same, que já representa nove anos de sua vida. Antes de tornar-se coordenadora, ela trabalhava como farmacêutica. “Sem dúvidas está sendo um grande aprendizado ao longo destes anos no serviço”, ressalta.

O Same funciona das 8h às 17h. Mais informações sobre o serviço pelo telefone (15) 3234-8800.

 

 

Tags:, , ,