Saúde inicia ações preventivas contra a síndrome mão-pé-boca

Por: Marcelo Almeida

A Secretaria de Saúde (SES), após observar casos da síndrome mão-pé-boca (SMPB) nos CEIs (Centro de Educação Infantil) de Sorocaba, iniciou ações preventivas nos locais onde houve suspeita do vírus em crianças. A primeira ação foi realizada no CEI-106, através da Unidade Básica de Saúde (UBS) São Guilherme, no dia 11 de abril. Na segunda-feira (16), a UBS Cerrado realizou uma orientação aos funcionários da unidade infantil sobre o tema.

A Vigilância Epidemiológica Municipal informa sobre as notificações para as UBSs e essas unidades ficam responsáveis em intensificar o trabalho de orientação e prevenção sobre a doença nos CEIs de abrangência territorial. Ao total, são 32 Unidades Básicas de Saúde que ficarão em alerta para agir, caso haja notificação.

De acordo com a coordenadora da UBS Cerrado, Pâmela Fernandes, a UBS faz a busca ativa e contato com os responsáveis pelas crianças. “Perguntamos sobre os primeiros sintomas da doença e orientamos a coleta de uma amostra de fezes se esses sintomas começaram há 14 dias ou menos, pois é uma tentativa de isolar o vírus e verificar realmente se é a síndrome mão-pé-boca ou outra doença”, explicou a coordenadora. Pâmela também ressalta que durante o contato com os pais é passada as orientações de higiene e de transmissão.

Nas visitas nas creches, uma equipe multiprofissional de saúde da UBS orienta os funcionários da unidade e tiram dúvidas sobre a doença. Durante a explicação, eles aproveitam para tirar outras dúvidas, como a gripe e demais enfermidades.

“Essa ação preventiva mostra que estamos empenhados em prestar assistência de saúde à população. Nosso contato e comunicação com a Secretaria de Educação (Sedu) está sendo eficiente e produtiva para a resolução dessa doença”, ressalta a secretária de Saúde, Marina Elaine Pereira.

A doença

A síndrome mão-pé-boca é uma enfermidade contagiosa causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus que habitam normalmente o sistema digestivo e também podem provocar estomatites (espécie de afta que afeta a mucosa da boca).

É importante ressaltar que nos primeiros anos de vida as crianças são menos resistentes nesta fase e o convívio em ambientes coletivos como as escolas e creches podem favorecer o surgimento de algumas doenças que normalmente evoluem com boa recuperação e algumas não implicam inclusive no afastamento.

As orientações referentes aos cuidados em relação à prevenção são: manter portas e janelas abertas para manter o ambiente arejado, uso de álcool em gel após lavagem das mãos e evitar compartilhar materiais de uso pessoal, como talheres, copos e escovas de dente.

Tags: