Saúde na Escola chegará a mais de 5 mil crianças a partir de setembro

Por: Evenize Batista - ecbsilva@sorocaba.sp.gov.br

A Prefeitura de Sorocaba dá início no próximo mês a um ciclo de dois anos do programa Saúde na Escola, com doze ações educativas e preventivas voltadas a 5.770 alunos da rede municipal de ensino. A adesão à iniciativa federal envolve as Secretarias Municipais da Saúde e da Educação que já realizaram o planejamento e deram início à fase de implantação do programa.

A prática consistirá no desenvolvimento de atividades ao público escolar – crianças e famílias – e às comunidades do entorno, por meio de treze Unidades de Saúde da Família e Unidades Básicas de Saúde, atingindo 25 Centros de Educação Infantil (CEIs) da cidade, com crianças na faixa etária dos quatro meses aos seis anos. O critério de abrangência do programa levou em conta a vulnerabilidade das regiões da cidade e a preferência por unidades atuando dentro estratégia de saúde da família – Programa de Saúde da Família (PSF).

A implantação já teve uma primeira reunião com todos os diretores das instituições de ensino e também reunirá todos os coordenadores de unidades de saúde neste mês de agosto. Paula Rita de Barros Lara de Castro representante da Secretaria da Saúde no grupo de trabalho intersetorial do PSE, explica que a realização das ações e a maneira como serão desenvolvidas as atividades poderão ser definidas de maneira conjunta por escolas e unidades de saúde, contanto que todas as doze áreas de atuação sejam contempladas ao longo do ciclo de trabalho.

As primeiras que serão iniciadas em setembro são a avaliação antropométrica (peso e altura) e a verificação da caderneta de saúde das crianças. Para isso, equipes das unidades de saúde visitarão as escolas e verificarão pessoalmente se a vacinação de cada aluno está em dia e se a realização das triagens auditiva (teste da orelhinha) e visual (teste do olhinho) ocorreram nas maternidades. Atrasos e alterações terão encaminhamento adequado.

Também estão previstas ações de saúde preventiva, como combate ao mosquito Aedes aegypti; promoção e avaliação em saúde bucal, promoção de práticas corporais, atividade física e lazer; prevenção de violências e acidentes, identificação de sinais de doenças, entre outros. Alguns temas previstos no programa serão adaptados ou voltados às famílias, devido à faixa etária das crianças atendidas, como prevenção do uso de álcool, tabaco e outras drogas, direito sexual e reprodutivo e prevenção de DSTs/Aids.

Nilza Maria Camargo, representante da Sedu no grupo intersetorial, explica que o programa é mais um trabalho que reitera a visão integral da Sedu para a criança. “É um olhar para a criança como um todo e isso envolve o seu bem-estar, a saúde, a orientação da família e questões como afetividade. Entendemos que o trabalho pedagógico e o cuidar estão associados”, comentou Nilza.

Tags:, ,