Sedetter realiza 1ª reunião para reconhecimento do Arranjo Produtivo Local do Polo Cervejeiro da RMS

Por: Marcelo Andrade

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Renda (Sedetter) está fomentando, juntamente com a Associação das Microcervejarias do Interior do Estado de São Paulo (Cerveja Livre), o reconhecimento do Arranjo Produtivo Local (APL) do setor cervejeiro e promover seu desenvolvimento em Sorocaba e região.

Por conta disso, representantes da Associação, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) e ainda do Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS) estiveram na Sedetter para conhecer o conceito de APL e seus benefícios para o setor e para a cidade de Sorocaba. Vale lembrar que em 2017, houve uma tentativa de fomentar um roteiro turístico da cerveja pela Secretaria da Cultura. O intuito era dar visibilidade à região, além de gerar emprego e renda em toda a sua escala produtiva; da produção nas microcervejarias aos diversos pontos de venda.

Segundo Bruno Cenci e Luiz Bramante, da Associação das Microcervejarias (Cerveja Livre), Sorocaba já possui a sexta maior densidade demográfica, considerando cervejarias por habitante e argumenta que o objetivo atual é aumentar a base de consumidores de cervejas produzidas pelas microcervejarias, apresentando um produto de qualidade.

Estas cervejarias distinguem-se pela não utilização de conservantes ou produtos artificiais para alterar as características da cerveja, garantindo maior qualidade aos produtos, segundo especialistas. “O desenvolvimento deste setor pode gerar novas postos de trabalho, atrair mais empresas e novas opções de lazer à cidade”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Renda, Robson Coivo.

 

Passos para reconhecer um APL

Nessa reunião foi apresentado os passos necessários para formalizar um Arranjo Produtivo Local, sendo eles: a homologação pelo Ministério da Economia (antigo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços ou MDIC) e, também, a confecção de um documento a ser entregue no Ministério supracitado.

Também foram apresentadas as características que definem um APL, que são: dimensão territorial (área de localização), diversidade dos atores e das atividades (empresários, instituições de ensino, governo, sindicatos, etc.), inovações e aprendizados interativos (nascidos de interações dos mesmos) e a governança (liderança). Uma vez implantada pode gerar benefícios, tais como: ganhos econômicos, como também desenvolvimento local e a formação de capital social.

Ainda durante o encontro, também foram mencionados, o Decreto 54.654/2009, que tem como objetivo desenvolver as cadeias produtivas paulistas, aumentar a competitividade das empresas micros, pequenas e médias, estimular o empreendedorismo baseado na interação e na cooperação,  e a Lei Ordinária 9.672/2011 que “[…]estabelece medidas de incentivo à inovação tecnológica, à pesquisa científica e tecnológica, ao desenvolvimento tecnológico, à engenharia não-rotineira, à informação tecnológica e à extensão tecnológica em ambiente produtivo ou social, visando alcançar a capacitação e o desenvolvimento industrial e tecnológico internacionalmente competitivo do município de Sorocaba”.

Muito mais por Sorocaba!

Tags: