Endereço: http://agencia.sorocaba.sp.gov.br/servicos-sao-prejudicados-com-furtos-em-unidades-do-saae/
Acessado em: 11/12/2017 - 20h42

Serviços são prejudicados com furtos em unidades do Saae

Por: Carlos Lara - imprensa@saaesorocaba.sp.gov.br

Nas últimas três semanas, algumas das operações relacionadas aos serviços de distribuição de água e de tratamento de esgoto da cidade estão sendo comprometidas como consequência de furtos ocorridos em unidades do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba, prejudicando a população.

De acordo com o diretor-geral da autarquia, Ronald Pereira da Silva, os alvos são os cabos de energia elétrica das unidades, que por seu valor comercial atraem a atenção. “Embora tenhamos isolamento e vigias nas unidades, muitas delas possuem áreas extensas, o que muitas vezes impossibilita perceber essas ações, que invariavelmente também são abafadas pelo barulho dos motores e movimentação dos equipamentos existentes”, explica Ronald.

Nesta terça-feira (05) duas unidades da autarquia tiveram cabos de energia furtados: a Estação de Tratamento de Esgoto Pitico e o booster (estação de bombeamento) do Jardim Astro. No caso da ETE Pitico, parte das operações de tratamento de esgoto ficará prejudicada e quanto ao booster a distribuição de água ficará interrompida naquela região da zona leste, até que o material furtado seja reposto e instalado, o que deverá ocorrer até o final desta tarde.

Outros casos recentes e providências

Na semana retrasada, outras duas unidades do Saae tiveram cabos de energia elétrica furtados: as estações elevatórias de água (bombeamento) instaladas na avenida 3 de Março, na zona leste, responsável pelo abastecimento de parte do bairro Brigadeiro Tobias, e a do Carandá, que faz parte do sistema de abastecimento daquele residencial instalado na rodovia Emerenciano Prestes de Barros, no bairro Caguaçú, zona norte da cidade. Nos dois casos, a autarquia instalou novos cabos e o sistema voltou a operar.

Diante das ocorrências seguidas, a direção da autarquia pretende desenvolver estudos para ampliar tanto a vigilância como o isolamento das suas unidades, que são mais de cem distribuídas por toda a cidade, incluindo Estações de Tratamento de Água e de Esgoto, Centros de Distribuição de Água, Estações Elevatórias de Água e de Esgoto e poços artesianos, entre outras.