Servidores recebem capacitação sobre convivência com deficientes

Por: Mariana Campos – macampos@sorocaba.sp.gov.br

Como parte da programação pela passagem do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21 de setembro), a Prefeitura de Sorocaba realizou na manhã desta quarta-feira (dia 28) a capacitação “Convivência profissional com Pessoas com Deficiência” com 30 servidores públicos municipais. O encontro ocorreu na Escola de Gestão Pública “Dr. José Caetano Graziosi” (EGP).

Oferecida pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Coordenadoria da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), o objetivo da ação foi capacitar os funcionários a fim de proporcionar maior interação com as pessoas com deficiência que atuam na Prefeitura de Sorocaba ou com aqueles que procuram pelos serviços públicos, criando um clima de colaboração, respeito e a certeza de que barreiras são superadas com naturalidade.

O encontro contou com a parceria do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPCD), da Secretaria da Educação (Sedu) e da Secretaria da Administração (Sead), além da participação de representantes da Amas (Associação Amigos do Autista de Sorocaba), Apadas (Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos de Sorocaba) e do Movimento Livre Independente.

Como foi a capacitação

Jesiel Pontes de Oliveira, funcionário da Secretaria da Saúde (SES), foi uma das pessoas a abordar o tema no encontro. Ele é cadeirante e uma das 81 pessoas com deficiência que atuam na Prefeitura de Sorocaba. Além de falar sobre a sua experiência e da questão do concurso público voltado a este segmento, ele deu dicas de convivência diária aos seus colegas de trabalho.

“Cabe muito às chefias dos setores receberem a pessoa com deficiência, passar tranquilidade e não ter medo de perguntar como pode ajudar. Acho que este é o caminho, pois o funcionário chega ao local de trabalho ansioso, com vontade de acertar e com medo de não ser aceito no ambiente de trabalho”, destaca. “Não temos nenhuma vergonha de falar sobre o assunto, o que queremos é se fazer entender e ser aceito no grupo”, simplificou.

Jesiel também falou sobre o conceito de inclusão social e citou artigos da lei federal nº 13.146, de 06/07/2015, que instituiu a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). “Hoje temos uma lei que garante a cidadania, mas provavelmente na década de 1950 o deficiente físico estaria num quarto ouvindo seu rádio, sob a proteção da família, limitado ao desenvolvimento de suas capacidades”, exemplificou.

Dicas e receio

Em seguida, Edmar Carvalho Junior, integrante do CMPCD, deu dicas de como as pessoas podem e devem ajudar uma pessoa que possui deficiência visual, principalmente na questão da mobilidade.

A funcionária da Secretaria da Administração, Paola Moura, participou da capacitação e espera que tenham outras futuramente. “Achei muito interessante ter o depoimento de pessoas com deficiência, porque a gente não sabe o que eles passam, e a participação das entidades foi bem bacana também”, comentou. Segundo ela, atualmente não trabalha com pessoas com deficiência em seu setor, mas quando atuava no ambulatório ajudou um deficiente visual chegar até a saída do Paço Municipal. “A gente fica com medo de ofendê-los de alguma forma, mas hoje vi que este não é um problema. Gostei bastante”, destacou.

Tags:, ,