ESPECIAL 50 ANOS ZOO – Símbolo do zoo de Sorocaba, Muriqui é uma das espécies de macaco mais ameaçadas do mundo

Por: Gabriel Fernando (programa de estágio)

Com cerca de 1.200 animais de 300 espécies, o Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” possui algumas raridades. Uma delas possui um significado especial para o zoo: o muriqui-do-sul (Brachyteles arachnoides). Símbolo do logo da instituição sorocabana, que completa 50 anos no dia 20 de outubro, o muriqui é uma das espécies de macaco mais ameaçada de extinção do mundo, com uma população total estimada em 1.300 indivíduos, de acordo com a IUCN (International Union for Conservation of Nature).

Considerado o maior primata das Américas, o muriqui-do sul, também conhecido como mono-carvoeiro, é encontrado somente na Mata Atlântica. A destruição do habitat natural, a baixa taxa de reprodução da espécie e a caça são responsáveis pelo quase desaparecimento do muriqui na natureza.

O biólogo Marcos Tokuda conta que no mundo apenas três zoológicos têm muriqui-do-sul em seu plantel: o de Sorocaba, São Paulo e Curitiba. Atualmente, o “Quinzinho de Barros” possui cinco habitantes da espécie, sendo que um deles nasceu no final do ano passado no parque.

O animal mais velho é a Mona, que chegou no zoo em 2003 ainda filhote, oriunda de resgate. O biólogo Marcos Tokuda explica que Mona foi encontrada filhote sozinha no chão da mata, aparentemente abandonada pela mãe. “A Mona é um xodó, porque foi a primeira muriqui do ‘Quinzinho’. Ela foi resgatada e trazida para cá, pois se tivesse ficado no local provavelmente teria sido comida por um predador ou morrido de fome. Hoje ela já é adulta e mãe dos dois filhotes que temos hoje aqui”, relatou o biólogo.

A última filhote nasceu no zoo de Sorocaba no final do ano passado. O nascimento dela comprova o importante trabalho realizado na instituição, que é da preservação de espécies de animais ameaçados de extinção. “É importante manter uma população no zoo por serem ameaçadas de extinção, pois se acabar na natureza nós temos uma população cativa, para no futuro aí sim podermos fazer uma reintrodução na natureza”, explica Marcos.

Considerado um dos melhores zoológicos da América Latina, o “Quinzinho de Barros” oferece bem-estar aos seus habitantes. Os próprios Muriquis em seu espaço contam com rede, cipó, galhos e enriquecimento ambiental, com alimentos sendo distribuídos na parte superior do recinto para simular uma condição da natureza onde eles se balançam para buscar o alimento na altura das árvores.

“Temos um cuidado em fazer com que eles se sintam em seu habitat, para tanto existe todo um preparo nutricional também para que não haja um costume humano na alimentação dos animais. Para os muriquis a alimentação é separada em folhas e frutos por serem uma espécie vegetariana. Nós sempre conscientizamos os visitantes para nunca alimentar os nossos animais”, relata o profissional.

 

Curiosidades do bicho

O nome mono-carvoeiro foi dado porque o animal possui as mãos, os pés e a cauda pretos, assim como as pessoas que trabalham em minas de carvão. Pode medir em torno de 1m60, chegando até 15 quilos, com estimativa de vida de 35 anos. O primata possui braços longos e uma cauda variando entre 0,67 e 0,84 centímetros, que é capaz de segurar galhos como se fosse um quinto membro.

Uma das características marcantes dos muriquis-do-sul é o demorado abraço grupal. Na natureza vivem em grupos grandes e unidos.

“A espécie é conhecida como o povo manso da floresta, graças a seus hábitos solidários e de permanência em grupo. São animais tranquilos entre eles, ao contrário das outras espécies de macacos que têm uma hierarquia de dominância do grupo. Os muriquis não brigam entre eles e as demonstrações de afeto são comuns entre indivíduos de qualquer sexo ou idade”, conclui Marcos.

 

 

Serviço

Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”

Endereço: rua Theodoro Kaisel, 883 – Vila Hortência

Horário de funcionamento: terça-feira a domingo, das 9h às 17h

Telefone: (15) 3227.5454

Ingressos: R$ 8 para pessoas de 12 a 59 anos; e R$ 4 para crianças de 6 a 11 anos, além de estudantes dos ensinos Fundamental, Médio, Técnico ou Superior, reconhecidos pelo MEC, mediante comprovação de matrícula ou carteira estudantil dentro do prazo de validade.

Crianças até 5 anos, idosos acima de 60 anos completos e pessoa com deficiência, garantindo-se ao seu acompanhante, quando necessário e quando comprove estar nessa condição, são isentos de pagamento do ingresso. Além disso, alunos, professores e monitores das redes municipal e estadual de ensino público, com sede em Sorocaba, acompanhados pela escola; participantes de instituições assistenciais, com atuação social, cultural e ambiental são isentos de pagamento do ingresso de terça a sexta-feira.

 

Tags: