Sorocaba sobe em classificação relacionada à mudança climática em plataforma global

Por: Mariana Campos – macampos@sorocaba.sp.gov.br

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema), recebeu nesta semana a notícia que o município subiu na classificação em ações relacionadas à mudança climática da plataforma unificada CDP (Carbon Disclosure Project) & ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, uma rede global com mais de 800 cidades que estão agindo para a aumentar a transparência e acelerar uma ação climática mais ambiciosa. Sorocaba estava no ano passado com a classificação C (Consciência) e, em 2019, subiu para a classificação B (Gestão).

“Essa é uma ótima notícia. Sorocaba vem desenvolvendo desde 2009 um trabalho voltado à agenda de mudança climática e esse avanço na classificação mostra que estamos no caminho certo. Na próxima quarta-feira (13), realizaremos o 1º Fórum Regional de Mudanças Climáticas na Uniso e temos mais de 400 pessoas da região inscritas. A nossa ideia é entender qual o impacto da mudança climática na nossa região e propor políticas públicas para os municípios e o que cada setor pode promover para reduzir a emissão de gases de efeito estufa e se adaptar à mudança do clima”, destaca o secretário do Meio Ambiente, Maurício Tavares da Mota.

De acordo com o relatório do CDP, uma cidade que pontua na banda Gestão, como Sorocaba, entende os principais riscos e impactos das mudanças climáticas e está adotando ações para se adaptar a esses impactos e reduzi-los. Essas cidades trabalharam em colaboração com partes interessadas para entender seus riscos e impactos, e possuem em vigor um plano para mitigação e/ou adaptação.

O reporte a essa plataforma é uma condição dentro dos compromissos assumidos pela cidade ao aderir ao projeto Urban LEDS e também ao Pacto de Prefeitos pelo Clima e Energia. O CDP fornece a plataforma global para que as cidades meçam, gerenciem e divulguem seus dados ambientais. Neste ano, com o objetivo de tornar o processo de divulgação mais fácil e simples, o CDP e o ICLEI firmaram uma parceria para unificação das plataformas Carbonn Climate Registry (CCR) do ICLEI com a plataforma CDP Cities.

Os dados divulgados são compartilhados automaticamente com o ICLEI e embasarão o desenvolvimento de análises agregadas das ações tomadas por municípios na América Latina e subsidiarão relatórios globais para as negociações internacionais sobre mudança climática.

 

O que Sorocaba vem fazendo nos últimos 10 anos

Desde 2009, com a adesão à Campanha Global de Ações para Proteger o Clima (Campanha TicTacTicTac), da Chamada Global pela Ação Climática, Sorocaba começou a incorporar a agenda de mudança do clima na gestão municipal, afirmando sua compreensão quanto à inevitabilidade de se pensar um modelo de desenvolvimento que tivesse em conta as variáveis climáticas.

Em 2010, o município fez adesão à rede ICLEI, reiterando seu interesse e compromisso com a agenda climática, e foi selecionado para participar do projeto Urban LEDS – Estratégias de Desenvolvimento Urbano de Baixo Carbono – junto a outras sete cidades brasileiras.

O primeiro Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) do município foi publicado em 2014 e, no mesmo período, foram instituídos o Comitê Gestor Local, o Comitê Municipal e o Grupo de Trabalho sobre Mudanças Climáticas, além da elaboração da Política Municipal sobre Mudanças Climáticas.

Posteriormente, Sorocaba estabeleceu compromisso com o Compacto Global de Prefeitos, hoje chamado Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia, e reporta seus dados anualmente na plataforma unificada CDP & ICLEI. Essas ações somaram força à inclinação de Sorocaba para o enfrentamento às consequências da mudança do clima. No momento, Sorocaba está finalizando seu segundo Inventário de Gases de Efeito Estufa.

Entre os planos e ações que possuem interface com a temática do enfrentamento à mudança climática, é possível citar o Plano Municipal de Transporte Urbano e Mobilidade, que inclui o fortalecimento do transporte público por meio da implantação do BRT e de faixas exclusivas de ônibus, além do Plano Cicloviário e o Integrabike; os esforços voltados à ampliação de áreas verdes e recuperação ecológica, que inclui a elaboração e implantação do Plano de Arborização Urbana e o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, o incentivo à criação de RPPNs, garantindo, assim, a criação de corredores de biodiversidade; a participação na Campanha Construindo Cidades Resilientes, da ONU; a implantação da Agenda Ambiental na Administração Pública; o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, entre outros.

 

Sobre o ICLEI e o CDP
O ICLEI – Governos Locais para a Sustentabilidade é uma rede global composta por mais de 1.750 governos locais e regionais comprometidos com um desenvolvimento urbano sustentável. Ativo em mais de 100 países, influencia políticas de sustentabilidade e conduzem ações locais para um desenvolvimento justo, resiliente, circular, de baixas emissões e com base na natureza.

Já o CDP é uma organização sem fins lucrativos, que mobiliza investidores, companhias e governos com o intuito de construir e acelerar ações colaborativas para um desenvolvimento que funcione para as atuais e futuras gerações. A visão do CDP é de uma economia sustentável que atue para as pessoas e para o planeta, construindo cidades prósperas e resilientes. O órgão detém o maior banco de dados globais sobre Gases de efeito estufa e mudança climática.

Tags: