Unidades Básicas de Saúde realizaram programação da Semana do Tabaco

Por: Marcelo Almeida Jr

Desde segunda-feira (28), as 32 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) realizaram a Semana do Tabaco em Sorocaba. A iniciativa acontece em alusão ao Dia Mundial sem Tabaco, comemorado no dia 31 de maio. As atividades, que se encerraram nesta quarta-feira (30), foram focadas em ações de prevenção e controle do tabaco.

Segundo a Secretaria de Saúde (SES), ocorreram palestras, rodas de conversas e disponibilização de materiais informativos nas unidades para intensificar as orientações antitabagismo. Na manhã desta quarta-feira, as UBSs Maria Eugênia, Barão, Cerrado e São Guilherme receberam servidores das equipes multiprofissionais de saúde, que deram dicas e comentaram sobre os malefícios que o uso do cigarro traz à vida.

Mesmo fora da Semana do Tabaco, UBSs oferecem grupos de “Cessação do Tabagismo”, que seguem as diretrizes do Programa para Cessação de Tabagismo elaborado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). O objetivo é ajudar os participantes a deixarem de fumar, utilizando abordagem cognitiva comportamental para detectar situações de risco de recaída. Dessa forma, são desenvolvidas estratégias de enfrentamento. Em casos específicos é utilizado como apoio o tratamento medicamentoso.

Os usuários que queiram deixar de fumar, podem procurar a UBS mais próxima de sua residência para se informar sobre o Grupo para Cessação do Tabagismo. São realizadas cinco sessões em grupo, formado por 10 a 15 pessoas, de duas horas, uma vez por semana. Após esse ciclo, realizam-se duas sessões quinzenais, passando a uma reunião mensal para prevenção da recaída. Há uma equipe multiprofissional envolvida no desenvolvimento desse programa que é composta por fisioterapeuta, farmacêutico, educador físico, enfermeiro, médico, assistente social, dentista e psicólogo.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o tabagismo é considerado uma doença epidêmica que causa dependência física, psicológica e comportamental. Além disso, é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis.

Tags: