UPA Éden começou a ofertar PEP nesta segunda-feira

Por: Marcelo Almeida Jr

A partir desta segunda-feira (09), a Secretaria da Saúde (SES), da Prefeitura de Sorocaba começou a ofertar os comprimidos antirretrovirais às pessoas que tenham sofrido alguma exposição ao vírus da aids em até 72 horas. A medicação, conhecida por PEP (Profilaxia Pós-Exposição), está disponibilizada na UPA do Éden e é fornecida obedecendo a critérios de protocolo de assistência e que seja considerado um atendimento de urgência. O objetivo da Secretaria, por meio do CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) e Same (Serviço de Atendimento Municipal Especializado), é o de ampliar as ações de enfrentamento contra o HIV no município. Este ano, Sorocaba registrou 125 novos casos de aids.

De acordo com a SES, além da UPA Éden, a medida preventiva também é oferecida nas UPHs Leste, Oeste e Norte, além do CTA, situado à rua Manoel Lopes, 220, na Vila Hortência, que atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h30. Nas UPHs e UPA, a assistência é ofertada durante 24 horas por dia.

Segundo a coordenadora do CTA, Helena Solla, diferente da camisinha, que evita que uma pessoa entre em contato com o vírus presente nas secreções genitais e sangue durante a relação sexual, este tipo de medida preventiva atua quando a pessoa já foi exposta ao vírus, ou tem suspeita de exposição. “É importante lembrar que além da camisinha, outras medidas complementares são essenciais para evitar a infecção pelo HIV, como redução do número de parcerias sexuais, tratamento de inflamações na região genital, uso de gel lubrificante e consumo consciente de álcool”, destaca.

Para que fosse possível essa ampliação no atendimento, o CTA/Same realizou um treinamento no mês de agosto para capacitar a equipe de enfermagem, os biomédicos e médicos da UPA. A ação foi dividida em quatro encontros.

Número de casos de HIV

Desde o início do ano foram registrados 125 casos novos de HIV em pessoas que moram na cidade. São 52 casos na faixa etária de 15 a 29 anos; 43 casos estão entre pessoas de 30 a 39 anos; 17 registros se localizam entre 40 a 49 anos, 10 casos estão na faixa de 50 a 59 anos e três casos em maiores de 60 anos.

Já em 2018, o total foi de 184 casos novos de HIV em pessoas residentes na cidade. Sendo 82 casos na faixa etária de 15 a 29 anos; 54 entre o público de 30 a 39 anos; 25 casos apontados em pessoas com idade de 40 a 49 anos; 19 registros se localizaram entre 50 a 59 anos; e quatro casos em maiores de 60 anos.

Tags: