Workshop orienta mulheres vítimas de violência sobre o mercado de trabalho

Por: Secom / Secid

A Coordenadoria de Políticas para Mulheres da Secretaria da Cidadania e Popular (Secid) promoveu, na última semana, um workshop voltado a vítimas de violência doméstica sobre inserção ou recolocação no mercado de trabalho, no auditório da Secretaria de Igualdade e Assistência Social (Sias). A iniciativa visa capacitar estas mulheres na busca por uma oportunidade profissional. Segundo dados do Ministério Público Federal, cerca de 25% das mulheres agredidas no Brasil não abandonam relacionamentos abusivos por conta de dependência financeira dos agressores.

A capacitação se desenvolveu em parceria com o RH do Bem, projeto social mantido por profissionais de Sorocaba que atuam na área de Recursos Humanos. As participantes do workshop foram selecionadas com base em ocorrências atendidas pelo Centro de Referência da Mulher (Cerem) e já acompanhadas pela Justiça e Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

Segundo a coordenadora da Mulher da Secid, Ana Miragaia, o workshop é o primeiro passo no planejamento uma ação permanente não só para qualificar as mulheres vítimas de violência, mas também sensibilizar as empresas a contratá-las. “Muitas destas mulheres estão há anos fora do mercado de trabalho ou jamais tiveram um emprego. Então, queremos que conscientizar o empresariado que esta situação de vulnerabilidade é temporária: vale a pena investir nesta mulher, pois ela vai valorizar a oportunidade recebida”, destaca.

O workshop orientou as mulheres sobre técnicas de inserção e recolocação no mercado de trabalho, por exemplo, como elaborar um currículo, comportamento numa entrevista de emprego, acertos e os erros na busca por trabalho e situações que podem favorecer ou prejudicar dentro de um processo seletivo.

 

Proteção à mulher

Sorocaba mantém uma rede pública de proteção à mulher vítima de violência. Para a apresentação de denúncias, os principais canais de comunicação são a Delegacia de Defesa da Mulher, com funcionamento 24 horas, localizada à Rua Caracas, 846, Jardim América e o telefone (15) 3232-1417; Ministério Público Federal, por meio do site www.mpf.mp.br ou pessoalmente (Avenida Antônio Carlos Cômitre, 295 – 2º andar, Parque Campolim); e os telefones Disque Direitos Humanos (Disque 100), da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República; o Disque-Denúncia (181); Guarda Civil Municipal (153); e a Casa Abrigo do CIM Mulher, pelo (15) 9-9163-6230.

Para orientação e encaminhamento para atendimento especializado, as vítimas podem procurar de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, o Cerem, na Avenida Juscelino Kubitscheck, 440, Centro e o telefone (15) 3235-6770; e a Coordenadoria da Mulher da Secid, no Palácio da Cidadania, localizado à Avenida Afonso Vergueiro, 1.238, Centro e telefone (15) 3229-3440.

A Coordenadoria da Mulher da Secid desenvolve ainda o projeto “A Marca na Rosa”, que entre os meses de março e junho, visitou 28 escolas públicas de Sorocaba e promoveu rodas de conversa com 1.768 alunos do Ensino Médio na busca por uma conscientização sobre relacionamentos abusivos. A meta é chegar a 60 escolas até o final de 2019, localizadas em regiões que apresentam maior incidência de ocorrências de violência contra a mulher. O projeto desenvolve outras ações desde novembro de 2018, como a capitação de professores da rede pública, debates em Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e uma exposição fotográfica itinerante, que já passou pelo Palácio dos Tropeiros, Biblioteca Municipal, Fundec, escolas e shoppings.

Muito Mais por Sorocaba!

 

Tags: