ESPECIAL 50 ANOS ZOO – Zoo de Sorocaba é referência em pesquisas científicas

Por: Lucas Monteiro - Programa de estágio

O Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, um dos mais completos da América Latina, está prestes a completar 50 anos no dia 20 de outubro. Além de ser lar de aproximadamente 1.200 animais de 300 espécies, se tornou, ao longo dos anos, um grande ponto de referência para pesquisas científicas, gerando conhecimento sobre fisiologia, genética, comportamento e reprodução, realizadas por profissionais de instituições de ensino superior do Brasil e até do mundo.

Inaugurado em 1968, o “Quinzinho de Barros” é administrado pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema). Atualmente, 10 pesquisas estão em andamento feitas por alunos graduandos em cursos das áreas biológicas – medicina veterinária e biologia -, além de programas de pós-graduação, mestrados e doutorados de áreas correlatas.

Uma dessas pesquisas é do Victor Yunes, médico veterinário e aluno do programa de Pós-Graduação em Animais Selvagens da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Bauru. Ele está elaborando seu doutorado buscando compreender o efeito dos agrotóxicos nos primatas. “O estudo avalia de que forma os alimentos afetados por essa ecotoxicidade que são espalhados nas colheitas, afetam a saúde, o DNA e toda biologia desses animais”, explica Victor.

O doutorando conta porque optou pelo zoológico de Sorocaba, mesmo existindo uma média de 50 zoológicos espalhados pelo Estado de São Paulo. “Realizei meu estágio obrigatório aqui na época da graduação, sou familiarizado com o ambiente, que é muito bem cuidado e com uma diversidade animal que não se encontra em quase nenhum outro zoológico, dá para perceber que é tudo feito com carinho”, expõe o docente.

O “Quinzinho de Barros” é classificado no Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) na categoria A, que é a mais elevada. Isso ocorre devido às condições de infraestrutura que possui, como transporte próprio, técnicos em regime integral de trabalho, biblioteca, auditório, laboratório e programa de Educação Ambiental.

A pesquisa de Victor se concentra em duas etapas: na primeira foram realizados estudos com coleta de sangue nos primatas que residem no “Quinzinho de Barros”, que não tem contato com o produto alterado pelos efeitos do agrotóxico.

Já na segunda etapa, Victor irá para a cidade de Sinop, no Mato Grosso (MT), estudar as mesmas espécies que são encontradas no zoo, mas que são de vida livre e devido a região ser muito próxima de plantações, os animais também acabam sendo expostos aos agrotóxicos. “As áreas agricultáveis da região são muito próximas à Floresta Amazônica, então é inevitável que esses animais acabem se alimentando das plantações nos arredores e se esses componentes químicos fazem mal para o ser humano, imagina para os animais”, comenta o veterinário.

 

Internacional

Além da pesquisa de Victor, o zoo já abrigou pesquisas internacionais. O biólogo do zoo, Marcos Tokuda, captador de projetos do parque, conta que em 2015 o zoo foi tema de uma pesquisa internacional, realizada por uma profissional da Nova Zelândia, que estudou a perspectiva do público com relação aos anfíbios. “Ela estava fazendo a pesquisa dela em várias localidades do mundo e uma das paradas foi aqui no zoológico de Sorocaba”, lembrou o biólogo.

De acordo com Marcos, para a realização de pesquisas é necessário que o interessado cumpra alguns requisitos, como, por exemplo, que sejam fornecidos os resultados da pesquisa, sejam negativos ou positivos; e que caso o trabalho seja publicado, que a publicação também seja enviada ao zoo. Após a conclusão a comissão do zoo procura publicar o trabalho em revistas de divulgação científica parceiras e, a partir dos resultados, tentar auxiliar na vida dos animais do local.

Interessados em realizar alguma pesquisa científica no Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, basta acessar o link: http://meioambiente.sorocaba.sp.gov.br/educacaoambiental/pesquisas-e-trabalhos-cientificos/, realizar o agendamento e preencher os requisitos dos formulários anexados na página.

 

Serviço

Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”

Endereço: rua Theodoro Kaisel, 883 – Vila Hortência

Horário de funcionamento: terça-feira a domingo, das 9h às 17h

Telefone: (15) 3227.5454

Ingressos: R$ 8 para pessoas de 12 a 59 anos; e R$ 4 para crianças de 6 a 11 anos, além de estudantes dos ensinos Fundamental, Médio, Técnico ou Superior, reconhecidos pelo MEC, mediante comprovação de matrícula ou carteira estudantil dentro do prazo de validade.

Crianças até 5 anos, idosos acima de 60 anos completos e pessoa com deficiência, garantindo-se ao seu acompanhante, quando necessário e quando comprove estar nessa condição, são isentos de pagamento do ingresso. Além disso, alunos, professores e monitores das redes municipal e estadual de ensino público, com sede em Sorocaba, acompanhados pela escola; participantes de instituições assistenciais, com atuação social, cultural e ambiental são isentos de pagamento do ingresso de terça a sexta-feira.

 

Tags: