Endereço: http://agencia.sorocaba.sp.gov.br/centro-de-monitoramento-da-dengue-zona-norte-entra-em-funcionamento/
Acessado em: 19/05/2024 - 06h05

Centro de Monitoramento da Dengue Zona Norte entra em funcionamento


 

Segunda unidade do município segue os moldes do CMD Leste. Somente pacientes já referenciados serão atendidos no local,

que ficará aberto de segunda a sábado

 

O prefeito Antonio Carlos Pannunzio e o secretário da Saúde de Sorocaba, Francisco Antônio Fernandes, estiveram na manhã desta quarta-feira (15) no Centro de Monitoramento da Dengue (CMD) Zona Norte, segunda unidade do município voltada exclusivamente ao atendimento dos casos que precisem de hidratação e de exames laboratoriais, cujos pacientes possuem o cartão de suspeita ou confirmação da doença. O novo espaço começou a funcionar às 9h desta quarta-feira (15), graças à parceria com a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de Sorocaba.

Durante a visita, Pannunzio enalteceu o apoio dos mórmons neste momento em que a cidade enfrenta uma epidemia de dengue. “O apoio da Igreja, cedendo este espaço para o tratamento dos pacientes com dengue, com total infraestrutura e muito conforto, foi muito importante para que pudéssemos colocar em funcionamento mais um CMD em Sorocaba, uma unidade fundamental para evitar o agravamento dos casos em nossa cidade e que era um anseio da população e da Prefeitura”, disse o prefeito.

O CMD Zona Norte está funcionando nas dependências da Igreja, localizada na Avenida Itavuvu, 5.555. O espaço conta com recepção, dois consultórios simples de acolhimento dos pacientes, um laboratório para a coleta de exames, dois consultórios médicos e uma sala de hidratação que está equipada com quinze cadeiras reclináveis – espaço este que pode atender até trinta pacientes simultaneamente caso seja necessário – além de um leito de emergência. A equipe de profissionais é formada por dois médicos (sendo um da Polícia Militar, enviado pelo Governo do Estado), dois enfermeiros e quatro técnicos de enfermagem. Estudantes de enfermagem da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), Faculdade Anhanguera e da Universidade Paulista (Unip) também darão apoio nos atendimentos. “Temos como parâmetro o CMD Zona Leste, e, por isso, esperamos fazer de 200 a 250 atendimentos por dia nesta segunda unidade da Zona Norte”, diz o secretário da Saúde.

A primeira paciente do segundo CMD de Sorocaba foi Priscila Maluf, de 32 anos, moradora da Vila Santana. Ela chegou ao local por volta das 10h e elogiou a iniciativa da Prefeitura, que conta com a parceria dos mórmons. “Para mim, ficou mais fácil vir aqui do que me dirigir ao CMD Zona Leste. Fui muito bem atendida, todos que me receberam foram muito atenciosos”, disse.

O horário de atendimento do CMD Zona Norte é o seguinte: às segundas-feiras, das 7h às 16h e, de terça-feira a sábado, das 7h às 19h. Inicialmente, o CMD Zona Norte deve funcionar por trinta dias (até o dia 15 de maio), mas se for necessário, Fernandes diz que este período pode ser prorrogado por mais trinta.

 

Números da Dengue

 

A Secretaria da Saúde de Sorocaba (SES), por meio da Área de Vigilância em Saúde, divulgou o novo Boletim Epidemiológico da Dengue e da Chikungunya na tarde desta quarta-feira (15), durante a entrevista coletiva semanal sobre o tema. De acordo com o documento, em 2015, até o dia 13 de abril, foram registrados 8.033 casos de dengue confirmados por critério laboratorial e 34.330 casos prováveis, classificados por critério clínico-epidemiológico, o que totaliza 42.363 casos. Deste total, 42.271 (99,8%) são autóctones e 92 (0,2%) importados.

Quanto aos óbitos notificados, os testes realizados no laboratório de referência do Estado, o Instituto Adolfo Lutz (IAL), confirmaram até a mesma data um total de 15 óbitos. Já foram descartados 11 óbitos e 13 estão em investigação, aguardando finalização de exame sorológico.

Em relação à Febre Chikungunya, o município possui um caso importado confirmado, cuja paciente adquiriu a doença no município de Riachão do Jacuípe, no Estado da Bahia. Três casos foram descartados e um está aguardando resultado de exames.

De acordo com a diretora da Área de Vigilância em Saúde da SES, Daniela Valentim, dos quinze óbitos por dengue na cidade, registrados em 2015, sete ocorreram na rede particular, outros sete na rede pública, e um ocorreu em outro município, mas envolve um sorocabano.

“Apesar da desaceleração do crescimento dos casos de dengue a cada semana, o número ainda está aumentando. Portanto, continuamos em alerta máximo contra a doença. Toda a população deve insistir nos cuidados preventivos contra o mosquito transmissor, vistoriando a casa pelo menos uma vez por semana e eliminando todos os criadouros”, reforça Daniela.